* Mapa Europeu muda com declínio da esquerda nos últimos 38 anos.

Revista Época

O  jornal The Guardian mostra, por meio de um infográfico muito interessante,(Vá ao site, é MUITO interessante) a divisão de forças entre governos de esquerda e direita na Europa ao longo dos últimos 38 anos, e revela que o domínio da direita na Europa nunca foi tão grande na história recente como é agora.

Como mostra o mapa acima, dos 27 países que fazem parte da União Europeia, apenas seis possuem governos de esquerda: Espanha, Áustria, Eslovênia, Finlândia, Grécia e Chipre.

5 thoughts on “* Mapa Europeu muda com declínio da esquerda nos últimos 38 anos.

  1. Temo que ocorreu com a esquerda nos governos mundiais o mesmo que com o cristianismo na humanidade como um todo, tornou-se onipresente e aguada. O refluxo da direita surgiu com o aumento da intolerancia e da xenofobia, os governos aguados de esquerda não conseguiram segurar a onda da globalização e acabaram exportando os empregos dos europeus, mas se a esquerda não tivesse ascendido não haveria nada para dividir como os outros povos, a europa voltaria ao regime feudal como castelos luxuriantes cercados de vilas miseráveis. Os verdadeiros esquerdistas assim como os verdadeiros cristãos estão na luta pelos seus ideais mas são minoria em um mundo massificado.

  2. Não dá para ficar comparando “os verdadeiros esquerdistas” com os verdadeiros cristãos. É muita pieguice. E se a esquerda recua na Europa (graças a Deus!), é porque tem gente cansada e que estranha as coisas que a esquerda tanto defende, como o aborto e o casamento entre pessoas do mesmo sexo, idéias incompatíveis com a Fé Cristã e a moral ocidental, fundamentada no Cristianismo.
    Eu mesmo me considero com de direita e nem por isso sou intolerante e xenófobo, como você diz acima. Quem diz isso sobre os conceitos mais, digamos, “conservadores”, é justamente a esquerda, principalmente a parte mais próxima do extremismo. Papo de quem tá perdendo terreno…

  3. A questão ‘esquerda-direita’ vai muito além da simples definição. De uma lado pode-se ter regimes de ‘esquerda’ que aprovam tudo contra a Moral Cristã. De outro pode-se ter regimes de ‘direita’ que são tão imorais quanto os de ‘esquerda’. Dessa forma cair nessa dualidade sem explorar o contexto soa ingênuo e infantil muitas vezes. O que deve nortear as pessoas de boa vontade é uma politica que conjugue a defesa dos valores morais cristãos com uma economia social de mercado, proximo da DSI, de centro, que seja contrária à indiferença social que acontece por exemplo no Partido Republicano Americano, ou no DEM, PP, e similares aqui no Brasil, e que seja contrária a um materialismo marxista, pragmático.

    Exemplos de governos de direita ruins tivemos milhares na América Latina, tivemos agora com Berlusconi na Itália (que hostiliza os valores cristãos também), com Aznar na Espanha e tantos outros. Enquanto temos governos podres de esquerda com do José Sócrates em Portugal.

    Determinados debates, partindo de católicos, devem ser bem embasados sob pena de caírem no rídiculo e darem margem de manobra, abrindo um flanco gigantesco, para que os marxistas digam que somos tolos ou mal-intencionados.

    É bom ter cuidado com as sentenças lógicas construídas.

  4. No aspecto em os “verdadeiros esquerdistas” se aproximam de como viviam os primeiros cristãos e das inumeras citações do Evangelho contra a cobiça, o amor ao dinheiro, a usura, etc , que infelizmente, muitos cristãos pulam essa parte quando leem, ainda entendo.
    O problema é que paises que adotaram uma prática política dita de
    esquerda, passam a impôr praticamente o ateísmo e a banir a Fé da vida do povo, como aconteceu na Russia, de forma explicita , ou em outros de forma implicita. Ai fica dificil….

Deixe um comentário