* As portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja.

Beato Jonh Newman

Outrora, era uma fonte de perplexidade para quem crê, como lemos nos salmos e nos profetas, ver que os maus tinham êxito onde os servos de Deus pareciam fracassar. E o mesmo se passa ao tempo do Evangelho. E no entanto a Igreja possui este privilégio especial, que mais nenhuma outra religião tem, de saber que, tendo sido fundada aquando de primeira vinda de Cristo, não desaparecerá antes do Seu regresso.

Contudo, em cada geração, parece que sucumbe e que os seus inimigos triunfam. O combate entre a Igreja e o mundo tem isto de particular: parece sempre que o mundo a vence, mas é Ela que de fato ganha. Os seus inimigos triunfam constantemente, dizendo-a vencida; os seus membros perdem frequentemente a esperança. Mas a Igreja permanece. [...] Os reinos fundam-se e desmoronam-se; as nações espraiam-se e desaparecem; as dinastias começam e terminam; os príncipes nascem e morrem; as coligações, os partidos, as ligas, os ofícios, as corporações, as instituições, as filosofias, as seitas e as heresias fazem-se e desfazem-se. Elas têm o seu tempo, mais a Igreja é eterna. E contudo, no seu tempo, elas parecerem ter uma grande importância. [...]

Neste momento, muitas coisas põem a nossa fé à prova. Não vemos o futuro; não vemos que o que parece agora ter êxito não durará muito tempo. Hoje, vemos filosofias, seitas e clãs alastrarem, florescentes. A Igreja parece pobre e impotente. [...] Peçamos a Deus que nos instrua: temos necessidade de ser ensinados por Ele, estamos cegos. Quando as palavras de Cristo puseram os apóstolos à prova, eles pediram-Lhe: «Aumenta a nossa fé» (Lc 17.5). Procuremo-Lo com sinceridade: nós não nos conhecemos; temos necessidade da Sua graça. Qualquer que seja a perplexidade a que o mundo nos induza [...], procuremo-Lo com um espírito puro e sincero. Peçamos humildemente que nos mostre o que não compreendemos, que suavize o nosso coração quando ele se obstina, que nos dê a graça de O amarmos e de Lhe obedecermos fielmente na nossa procura.

Sermões sobre os temas do dia, nº 6, «Fé e Experiência», 2.4
Citado por Evangelho Quotidiano, 04/ago/2011

4 thoughts on “* As portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja.

  1. Ô coisa linda! Bendito seja Deus que faz Sua Igreja prevalecer até que Ele venha!

    Bendito seja Deus por suscitar santos como Jonh Newman alimentando nossa esperança no Senhor

    Shalom!

  2. Retiro um comentario do texto, para compeltar com o meu em seguida: Contudo, em cada geração, parece que sucumbe e que os seus inimigos triunfam. O combate entre a Igreja e o mundo tem isto de particular: parece sempre que o mundo a vence, mas é Ela que de fato ganha. Os seus inimigos triunfam constantemente, dizendo-a vencida; os seus membros perdem frequentemente a esperança. Mas a Igreja permanece. [...] Os reinos fundam-se e desmoronam-se; as nações espraiam-se e desaparecem; as dinastias começam e terminam; os príncipes nascem e morrem; as coligações, os partidos, as ligas, os ofícios, as corporações, as instituições, as filosofias, as seitas e as heresias fazem-se e desfazem-se. Elas têm o seu tempo, mais a Igreja é eterna. E contudo, no seu tempo, elas parecerem ter uma grande importância. [...] – Coitado daqueles que desejam ver o fim da amada Igreja Catolica. Essa Igreja seus hereges, seus filhos do demonio, estar fundamentada em Cristo. Voces podem querer calar as pessoas, matar a esperança que ainda perssistem nellas, dentro de umndo tão tumultuado, mais é pura perda de tempo. Os sangues dos martires, é alimento para o crescimento de tantos outros. Acima de tudo estar Cristo que não pode ser tirado de seus trono. Estamos SIM passando por momentos dificieis. Estamos vendo nossos irmãos se afstarem e irem para outras religiões ou aderindo culturas e ideologias que insitam o pecado, mais, vamos permanecer fimes e fortes. Sou Cristão, e estou pronto para Evangelizar sem medo. Estou pronto para falara a verdade, sem mim esconder. Estou ponto para salvar Vidas inocentes e pronto para ajudar as familias.

Deixe um comentário