* Pesquisa indica razões para evasão jovem das igrejas evangélicas. Aplicam-se também a nós, Católicos?

Fonte: Barna.org

Quase três em cada cinco jovens cristãos deixam de ir a suas igrejas, após 15 anos de idade, mas por quê?. Um novo estudo divulgado pelo Grupo Barna aponta seis razões diferentes a respeito do porque os jovens não estão permanecendo em seus denominações.

Os resultados deste estudo vêm de entrevistas com adolescentes, jovens adultos, jovens pastores, pastores sênior e pais que foram ao longo de cinco anos questionados até chegar neste resultado.

Primeiro, diz o estudo, as igrejas parecem ser superprotetora. Quase um quarto dos entrevistados de 18 a 29 anos de idade disse que “os cristãos demonizam tudo fora da igreja” a maior parte do tempo. Vinte e dois por cento também disse que a Igreja ignora problemas do mundo real e 18 por cento disseram que sua igreja estava muito preocupado com o impacto negativo de filmes, música e jogos de vídeo.

Experiência do cristianismo é superficial: Muitos jovens adultos também sentem que sua experiência do cristianismo não era profunda. Um terço dos participantes da pesquisa sentiu que “a igreja é chata.” Vinte por cento das pessoas que participaram como um adolescente disse que as experiências de Deus parece estar faltando na igreja.

A Igreja e se opõe a ciência: O estudo também descobriu muitos jovens não gostam da forma como as igrejas se posiciona com relação a ciência e parece ser sempre contra. Mais de um terço dos adultos jovens, disse que “os cristãos estão muito confiantes de que sabe todas as respostas” e um quarto deles disse que “o cristianismo é anti-ciência”.

A displicência que é tratado a questão do sexo na Igreja: Dezessete por cento dos jovens cristãos dizem que “quando cometem erros se sentem julgados pela igreja por causa deles.” Dois em cada cinco adultos jovens católicos disseram que os ensinamentos da Igreja sobre o controle da natalidade e sexo estão “fora de época.”

A luta com o exclusivismo do cristianismo: A quinta razão o estudo para um êxodo das igrejas é que muitos jovens adultos lutam com a exclusividade do cristianismo. Vinte e nove por cento dos jovens cristãos disse que “as igrejas têm medo das crenças de outras religiões” e sentem que têm que escolher entre seus amigos e sua fé.

A dúvida é tratada com hostilidade pela igreja: A última razão o estudo dá para os jovens deixarem a igreja é que eles sentem que a mesma é “hostil para aqueles que duvidam.” Mais de um terço dos jovens adultos disseram que sentem que não podem fazer perguntas mais urgentes da vida na igreja e 23 por cento disseram ter “dúvidas significativas intelectual” sobre sua fé.

David Kinnaman, presidente Barna Group e autor do livro sobre esses resultados,Você me Perdeu: Por que os cristãos jovens estão Saindo da Igreja e Repensando a Igreja, disse que parte do problema pode ser que muitas igrejas estão orientando no modo “tradicional”  os jovens adultos.

Mas a maioria dos jovens adultos já não querem seguir o caminho normal de sair de casa, após receber uma educação, encontrar um emprego, casar e ter filhos, tudo antes da idade de 30. Estes eventos de vida estão sendo adiados, reordenados, e às vezes empurrado completamente fora do contexto de entre os jovens adultos de hoje.

A Barna destaca na atualização deste estudo, que os jovens adultos de hoje são fortemente influenciados por grandes mudanças sociais, espirituais e tecnológicas que ocorreram no último quarto de século.

“Conseqüentemente, as igrejas não estão preparados para lidar com a ” nova normalidade “. Em vez disso, os líderes da igreja estão trabalhando de maneira mais desapercebida com jovens, adultos casados, especialmente aquelas com filhos. Sem no entanto se aperceber que o mundo dos jovens adultos está mudando de maneira rápida e significativa, como o seu acesso fácil com o mundo e visões de mundo através da tecnologia, sua alienação de várias instituições, e seu ceticismo em relação a fontes externas de autoridade, incluindo o cristianismo e a Bíblia. ”

“A maioria de nossas igrejas é composta de jovens de 20, 30 e 40 anos – devido a isso os nossos líderes têm a mesma mentalidade que algumas das pessoas mais jovens que frequentam a igreja e acabam tratando os mais jovens de uma forma sem autenticidade ,fazendo uso de respostas banais, anti-discussão científica, etc… Como diz a Escritura, e acreditamos que, Jesus está levantado os jovens para O adorar, também devem ser atraído por ele … por isso vamos levantá-lo de uma forma que eles possam participar “.

Kinnaman observou que muitas igrejas a abordagem das gerações é feita de uma forma hierárquica, de cima para baixo, em vez de implantar uma equipe de verdade dos fiéis de todas as idades. “Cultivar relacionamentos entre gerações é uma das formas mais importantes em que as comunidades de fé efetiva estão desenvolvendo, fé crescente em ambos, jovens e velhos. Em muitas igrejas, isso significa mudar a metáfora de simplesmente passar o bastão para a próxima geração a um mais funcional imagem bíblica, de um corpo – isto é, toda a comunidade de fé, ao longo da vida inteira, trabalhando juntos para cumprir os propósitos de Deus. ”

Deixe um comentário