* Avatar, o filme. A fé cristã tem algo a dizer ?

Com muita frequência recebemos e-mail s de irmãos nos fazendo perguntas sobre determinados filmes lançados pelo cinema.

Avatar, claro, não poderia ficar de fora.

A análise abaixo é uma reflexão interessante sobre o filme, em uma ótica Cristã, não se trata de uma palavra oficial da igreja mas a opinião de um irmão que assistiu o filme e partilha conosco suas impressões.

Muito do que ele colocou tem sentido.

Pretendo assistir o filme para  fechar minha opinião, como já fiz com o “2012” que, de fato, procura deixar claro em um eventual fim do mundo, que Deus não poderá nos ajudar, pois ele “não existe”.

A queda do Cristo Redentor, o papa, a queda drámatica da Igreja de São Pedro, caindo em cima dos orantes na praça, o rompimento pela rachadura do dedo de Deus e do dedo do homem na famosa obra de michelangelo transmite a mesma mensagem; “Não há salvação em Deus, em nenhum deus, nem allah, nem buda..é o fim.”

Claro que não comungo com essa visão. De qualquer forma, pelos efeitos especias.. vá lá. é o que salva, o resto..

Avatar tem também das suas..  quem já assistiu pode lembrar o que viu na ótica dessa partilha, quem ainda vai ver, terá essa reflexão para enriquecer sua posição pessoal.

Uma outra questão: tem pessoas que imaginam que todo e qualquer  filme que passa no cinema a Igreja tem que estar dando opinião, liberando, “proibindo..”

Não é assim. Somente quando o filme tem repercussão e atinge nossa vivência e nossos valores ou a própria a igreja, sua história, o papa, o magistério, etc.. a igreja se pronuncia através de algum de seus membros, um bispo, ou o jornal vaticano (por uma questão de justiça com a verdade dos fatos, como foi com o herético “anjos e demônios”).

A mesma coisa a nivel nacional ou local.

A Igreja não proibe mas, quando é o caso, oferece informações e subsídios para orientar seu povo e iluminar nossa inteligência e fé.

Nós, como filhos da Igreja, é que precisamos conhecer bem a fé católica para filtrarmos de nossas diversões aquilo que é compativel, ou não, com nossa fé. Asssitir com senso critico, ir além dos efeitos, os diálogos, a intenção do diretor, etc. Eventualmente a Igreja fala sobre determinada obra de arte, que deve- claro! nos iluminar e nos fazer refletir com obediência de fé.

A responsabilidade e a conviniência de assistir ou não, é nossa, decisão livre iluminada pela fé no filho de Deus, cabeça da Igreja e pelo amor a verdade!

***

Marcos Soares

O escritor cristão Francis Scheaffer (1912 – 1984) já dizia no início dos anos 80 do século passado que o Século XXI seria marcado pelo misticismo, culto à natureza e hedonismo. Ele acertou em cheio! Nossa geração tem esses traços entremeados na linguagem, nos hábitos, na religiosidade, no comportamento social e, sobretudo, na cultura, dos livros publicados que mais vendem aos filmes de sucesso.

Veja-se o caso da literatura tão ovacionada em nosso tempo: os livros do místico brasileiro Paulo Coelho, um escritor cujo conteúdo não é nada cristão. Pelo contrário, tem uma proposta pautada nos conceitos e práticas das religiões orientais e, para seduzir, de vez em quando ele explora textos bíblicos em suas concepções místico-filosóficas.

Poderíamos discorrer aqui sobre os vários âmbitos da cultura e iríamos presenciar essa miscigenação de conceitos e valores que têm afastado o homem de uma relação pessoal com Deus e de obediência à Sua Palavra.

Eu assisti ao filme Avatar e pude perceber que ele simboliza de forma impressionante a filosofia de vida que vem sendo amplamente defendida e divulgada nos vários campos do conhecimento, da ciência, da cultura e na mídia de massa de nossa geração: a falsificação da verdade proposta na Palavra de Deus e a deusificação da Ciência e da Natureza.

A proposta não tem nada de novo em termos filosófico religiosos. Trata-se de uma concepção que mistura (veja-se aí o misticismo) religião hindu, práticas indígenas de adoração aos entes naturais e culto a extraterrestres.

O título do filme diz respeito ao conceito hindu de que todo ser humano é um avatar de que cada um seria uma centelha do Deus Único, manifestada no plano material. Ou seja, o hinduísmo defende que todos os seres humanos são Amsha Avatar (encarnações parciais do Divino).

Na verdade, Avatar apresenta conteúdos ultrapassados e alienantes. Em termos históricos (óbvios), é aquela “velha” temática do capitalismo destruindo os índios e a natureza em nome da posse da riqueza existente na floresta – o filme mostra que os humanos querem explorar o minério raro unobtanium existente em Pandora que pode ser a chave para solucionar a crise energética da Terra.

No sentido teológico propõe o fim da adoração a Deus e o advento da “nova era” onde a ”mãe” natureza pode tudo e o ser humano não passa de uma peça nessa engrenagem alienante.

O que tem de novo é o aspecto tecnológico. Aliás, é isso que atrai, é isso que “salva” o filme. Para quem o assistiu em 3-D pode presenciar a nova tendência do cinema mundial cuja força da tecnologia, muitas vezes, dará emoção e qualidade a propostas pouco criativas e sem qualidade textual.

Com base nesse “pano de fundo”, proponho uma reflexão para nos protegermos dessa perigosa síndrome de Avatar que tem “dominado” parte de nossa geração.

Primeiro, o Deus cristão não está longe como o hinduísmo ensina. Nosso Deus é real e pessoal. Jesus Cristo veio ao mundo e viveu entre nós para demonstrar de forma inequívoca que Deus pode e se relaciona pessoalmente conosco. Não é uma relação alienante, nem subjetiva. Mas, um relacionamento com base no amor, na verdade e na obediência.

Segundo, o ser humano é superior à natureza. Veja o que o próprio Deus disse: “Façamos o homem à nossa imagem, à nossa semelhança, e domine ele sobre os peixes do mar e as aves do céu, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra, e sobre todas as criaturas que se movem ao longo da terra.” (Gênesis 1,26). O filme Avatar tenta induzir o espectador a pensar que aqueles bichos e as árvores estão no mesmo plano do ser humano. Não é verdade. O homem é mais importante do que aves, animais, peixes e árvores. Devemos, sim, cuidar e proteger a natureza, mas não há nenhuma base cristã que justifique as relações entre os avatares e a natureza proposta no filme. A natureza não é Deus.

Terceiro, o verdadeiro poder de libertar o ser humano vem de Deus, não da ciência, da mentalização humana ou da energia cósmica. As “ligações” entre os avatares e os animais apontam tanto para a proposta de que essa “energia” cósmica coloca a todos no mesmo plano, quanto atribui à natureza poderes que ela não tem. O poder de mudar a nossa vida vem de Deus, o poder de libertar uma pessoa deprimida e angustiada vem de Deus. O apóstolo Paulo afirma que “o Evangelho é o Poder de Deus” (Romanos 1:16). Essa palavra divina é que liberta o ser humano de todas as amarras. Deus pode libertar você hoje de todas as amarras que o prendem. O verdadeiro poder que liberta vem de Deus, não da natureza.

A ciência também não pode resolver dos os mistérios da vida. O filme Avatar propõe esse poder que a ciência julga ter de resolver todos os problemas humanos, de fazer um paraplégico andar, correr, pular, voar sem limites. Isso está simbolizado na figura de Jake Sully, um ex-fuzileiro naval confinado a uma cadeira de rodas que pode experimentar a cura não através do poder de Deus, mas do Programa Avatar onde os “condutores” humanos passam a ter uma consciência ligada a um avatar, um corpo biológico controlado à distância capaz de sobreviver no ar letal de Pandora. Um milagre da ciência e da natureza.

Essa síndrome Avatar tem sido uma tentativa da cultura e da ciência de neutralizar a obra de Deus na vida humana. Escritores, pesquisadores, produtores culturas, professores, âncoras midiáticos, líderes do movimento Nova Era, todos têm procurado alternativas para falsificar a verdade sobre Deus, o homem e a natureza. O ser humano tem sido levado a pensar que pode tornar-se, com a força da natureza ou de entidades extraterrestres, um “super homem” quando, de fato, a verdadeira identidade humana restaurada, curada e feliz é aquela que se relaciona com o Deus cristão, autor e sustentador de todas as coisas.

34 thoughts on “* Avatar, o filme. A fé cristã tem algo a dizer ?

  1. Marcos,

    Compreendo a total responsabilidade da Igreja em defesa da Vida. É fato. É necessário. Vivemos uma realidade constante em que a vida está sendo ameaçada de diversas formas, principalmente o reconhecimento da liberdade humana e da felicidade sem a ligação com Deus. Porém, é necessário que alguns pontos estejam claros: a) Paulo Coelho não é literatura. Literatura é arte. E a escrita dele não é considerada Arte. O ser humano precisa da Arte para interagir com as diversas belezas do universo. E dentro do conceito de arte, também se encaixa o conceito de ficção. “Avatar” é uma ficção. Como tantas outras que existem por aí. O diferencial é termos clareza do que seja ficção. E por fim, ressaltarmos em nossa vida a verdade como matéria prima para vivermos bem.

  2. Concordo com o Rodrigo, em parte. É certo que Paulo Coelho não é mesmo Literatura, apesar de sua triste cadeira na Academia Brasileira de Letras. No entanto, em se tratando de ficção, no caso de Avatar, o que se denuncia e se procura estimular nas pessoas com um artigo como esses do Marcos é seu senso crítico diante de certas obras. Lembremos que dentro desse gênero de ficção entram também obras totalmente sem crédito como “Código da Vinci”, “Anjos e Demônios”, que muitas vezes procuram passar a impressão de verdade, e para isso fazem uso da calúnia, mentira, de uma imagem de pseudo-ciência, como é o caso das obras de Dan Brown. Não se estimula uma alienação com relação a filmes, revistas, ou qualquer coisa que seja, mas uma atitude de coerência com a nossa vida cristã e aquilo que cremos.

  3. Existe uma linha na qual está há anos sendo traçada que, é preciso URGENTEMENTE apagar DEUS da historia da humanidade. O proprio inferno contribui com suas forças, a levar os filhos de Deus a uma “nova cultura” de paganismo, de morte. Não precisamos esperar que o ano de 2012 possa de fato acontecer, ele já estar acontecendo há muito anos. Toda obra, seja ela em livros ou filmes, existe uma centelha de ADORAÇÃO do homem, e não do Deus vivo. Estamos vivenciando momentos dificies na historia da humanidade. Sou Conselheiro Tutelar em Santana do Acaraú e a cada dia assisto a trasformação da mentalidade de nossos jovens. Familias inteiras estão sendo instruidas por novelas e programas. Existe um novo conceito de vida que, joga para fora os conceitos cristão. Por mais que nos esforcemos para tentar amenizar essa situação, Governos, instituições estão banalizando a figura humana. Existe um investimento maciço para que nossos jovens torne-se cada vez mais preparados para um campode guerra. Aborto, camisinha, sexo, drogas, liberdade, independencia. O conceito educacional de sexo nas escolas, homosexualismo, tudo isso estar cada vez mais sendo enraizado na cabeça de nossos jovens

  4. Assiti ao filme AVATAR. Para mim é manifestação da “glória” da Nova Era, que longe de estar adormecida, está viva e atuante.

    Exagerada exaltação da “Mãe Natureza”, endeusamento da mesma, antes chamada de gaia, no filme, chama de EIWA.

    A maior tristeza é saber que jovens e adolescentes, não-evangelizados, caem direitinho nas propostas sutis feitas durante todo filme…O filme, diferentemente de tantos como o código da Vinci, não se preocupa em atacar a fé católica frontalmente, mas usa de uma nova artimanha, o envolvimento emocional do ser humano em questões ambientais, porém, levando-o a um vazio sem Deus.

    Faz alusão ao espiritismo e é um forte convite a experimentar a meditação transcendental a la new age.

    Assisti para formar opinião e poder evangelizar…Não recomendo a nenhum cristão assistí-lo para não financiarmos ainda mais essa indústria de combate à fé.

    Não há como negar que o filme é envolvente e foi super bem produzido. Exatamente para impressionar e laçar os que não estão sobre a ROCHA FIRME que é Jesus.

  5. Eu acredito que além de conteúdos que contradizem a Doutrina Cristã Católica, existem elementos de cunho espiritual em filmes como AVATAR que contamina a relação autêntica e madura com Deus encarnado em Jesus Cristo é só observamos alguns cultos “Neopentencostais” que misturam a´experiência de Pentencostes com histérias e “transes” de religião Afro e Espiritismo.
    Segundo o Santo Padre Bento XVI “(…)é urgente a purificação da fé.”

  6. ainda não vi o filme , porém, quero assistir para formar tbém minnha opinião. mas volto a ressaltar que em vista dos efeitos especiais tão falados, devemos considerá-lo mera ficção. que é rocha firme não irá se abalar e continuará firme na fé. afinal é apenas um filme americano com recursos 3D. apenas uma fantasia.
    abraços

  7. Concordo com o ponto de vista do Junior, um dos que comentaram esse artigo. Seria essa mesma opinião eu que gostaria de expressar. Tendo ligação tambem com o que pode acontecer com as pessoas não evangelizadas, como cita o Daniel tambem comentarista desse artigo!

  8. Assisti ao filme e gostei muito. Como já disse em outras oportunidades, não consegui me manter em “Pandora” e na luta que ali acontecia, transmiti tudo aquilo para outro cenário e outra guerra: Estados Unidos x Iraque.

    Com relação a concepção de Nova Era, Paulo Coelho e outras babaquices. Sei lá, realmente não consigo ficar dando créditos para estas baboseiras.

    Que a paz de Jesus e o amor de Maria estejam sempre com vocês!

  9. Assisti o filme e ele pode nos levar a muitas reflexões e deve ser analisado sob várias óticas:

    Sabemos que o nome avatar vem do hinduísmo, e saindo um pouco da ótica religiosa, sabemos tb que hoje este termo é muito utilizado para personagens virtuais. A princípio, o que mais me chamou atenção foi o fato de colocarem um homem paraplégico como protagonista e que o mesmo “se salva” desta maldição em Pandora. A mensagem de que os homens de hoje estão procurando no mundo virtual (nas redes sociais) tudo o que não conseguem no mundo real, saciar as suas angústias, os seus desejos e livrar-se de sequelas é muito forte. Estão tão submersos a uma vida “ideal” que não querem mais viver o que é concreto, o que a criação de Deus nos oferece e não querem passar pelo sofrimento humano.

    Da mesma forma que o protagonista ficava submerso naquela câmara, nós muitas vezes ficamos horas na internet e tb já não queremos mais comer, dormir, tomar banho.. (como mostra no filme) Ao mesmo tempo, o roteirista colocou no mundo de Pandora o que praticamente não existe no mundo virtual: o amor entre as pessoas, a solidariedade, o cuidado, a vivência em Comunidade, a proteção uns pelos outros, a perseverança de ensinar e educar: um mundo perfeito. Mas se aprofundarmos, poderemos perceber que ele demonstra de forma hiperbólica e arquetípica a sede que o homem tem de ser feliz, ou na nossa linguagem, a sede de encontrar a Deus.

    O que me preocupou foi a sensação de sair do cinema com a mensagem de que a vida “normal” de ser humano, já não é tão boa, sair com uma pseudo-vontade de ser o que não se é, de ser algum outro. Sinceramente, acho que muita gente sai com essa sensação de querer ter uma outra vida… isso eu acho grave.

    E é obvio tb que o filme faz uma crítica ao governo Bush. O filme já estava sendo criado há 10 anos por James Cameron, ou seja, ele retratou no roteiro o “poder” que os EUA quer ter sob as nações, as guerras travadas durante todos esse anos.

    Enfim, ainda poderíamos falar das mensagens subliminares, que são milhares, do porque Pandora utilizar arcos e flechas e serem tão gigantes em tamanho, muitas coisas…daria um livro com certeza.

    Este filme acho que vale a pena assistir. Os cristãos precisam ser formadores de opinião, e neste caso, acho que não podemos ficar alheios.

    Shalom a todos!!

  10. Prezados,

    Entendão que é apenas um filme, para entreter, como livros. A fé cristã é composta e isso não afeta aos nossos proximos.
    A junventudo sempre será influencivel, por livros,filmes,tv,artigos e etc. Cabe a cada cristão procura o meio mais envolvedor para demostra o caminha correto a Cristo.

  11. Ai Meu Deus! Minha gente, Deus não é esse terrorista que alguns carismáticos teimam em nos empurrar.
    Carmadélio, particularmente tenho muita admiração por você, tanto que já assisti várias palestras suas.
    Mas uma análise radical como essa, de um filme que é pura ficção, é terrorismo.
    O filme está sendo considerado o melhor efeito especial de todos os tempos, aí me vem um “radical” como esse Marcos e tece comentários infelizes como esse? Sou católico apostólico romano e não perco uma missa. Mas o Deus que conheço, das Santas Missas, não é esse Deus radical que alguns tentam nos empurrar “goela abaixo”.
    Nenhum filme que assistirmos nos levará pro inferno. Filmes são apenas filmes. E nada mais. Chegar ao ponto de dizer que o homem é mais poderoso que a natureza é desejar muito colocar defeito no filme.
    Esse radicalismo (e não radicalidade evangélica) não o levará a canto algum, a não ser à loucura. E ainda enlouquecerá seus seguidores, como o pobre Daniel Marcos, que pelos seus comentários, já está com mania de perseguição também. Isso não é religião. Isso é esquizofrenia. Resem. Muito. E confiem no EM NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Apenas confiem. E assistam todos os filmes que quiserem.

  12. Quero provocar ainda uma outra questão: estamos analisando o filme e determinados fenômenos que gravitam em torno dos temas apresentados sob a nossa óptica de cristãos católicos. Todavia, arrisco a dizer que 90% das pessoas no mundo não são seguidores de Cristo (incluo nesta porcentagem os cristãos de todas as denominações que não são praticantes). Ora, somos apenas uma minoria, e, a maioria não liga para nós! Fizeram um filme para si mesmos! Para aquilo que acreditam e têm necessidade! Penso também que essa geração é filha de uma outra geração que já vinha afastada de Jesus… O que isso importa? Não lhes parece que a geração da nova era está um pouco perdida!? E que a sua busca por uma espiritualidade, por Deus, é até mesmo primitivista? Buscam a espiritualidade e Deus em árvores, pedras e todo e qualquer ser vivo… enquanto que, podemos gozar de uma magnífica, doce, amorosa e íntima relação com Deus!? Falamos-Lhe e O ouvimos!! Mais que o ouvir, entramos em comunhão com Ele pela Eucaristia!!! Enquanto que no filme eles precisamos ligar aqueles axônios nas pontas de suas crinas, nós, paramos em qualquer lugar e tempo, nos voltamos para o nosso coração, nossa alma e espírito e… encontramos O Mestre!!! Sinto pesar por essa grande massa ignorante de tantos tesouros que Deus nos garantiu… e vivem nessa miséria, implorando esmolas de gaia/eiwa! Agora… a parte em que imitam a obra de Jesus (a natureza, porque tudo que foi feito, o foi para Ele, e, nada do que foi feito o foi sem Ele): as cores, os seres!! Que lindo!! Aquelas espécies de águas vivas, sementes da árvore das almas… e todas aquelas cores são lindas e podem ser vistas nos melhores pontos de mergulho do nosso planeta!! É lindo de mais!! Jesus, que tudo fez, é demais!!!

  13. Márcio, claro que Deus não é terrorista. Mas o que o Marcos esclareceu no seu artigo é que muitas idéias propostas pelo filme estão em perfeita consonância com as “doutrinas” que vemos por aí: ecologismo (de que o Papa falou muito bem recentemente), ciência como resposta para todos os anseios da humanidade e uma certa dose de panteísmo. Isso é um fato, está lá no filme. É bom, portanto, que se assista ao filme (aqueles que quiserem) com consciência crítica, e que as pessoas aprendam a NÃO estar numa postura meramente passiva diante da telona e do que o mundo nos oferece.

  14. Exageroooooo

    Temos que manter a calma. É apenas um filme. Não há nenhuma menssagem religiosa, nenhuma “glorificação da nova era” nenhuma “deificação da natureza”. Se perguntar pros criadores do filme eles nem vão saber o que é isso. A grande proposta do filme é a critica ao capitalismo destrutivo. Que está correndo a nossa amazonia por exemplo.

    A “ligação” do filme era biológica, sinapses neurológicas, e a divindade “enwa” era a conciencia formada por esse “sistema nervoso”, é uma entidade religiosa entre as aspas apenas. Duvido muito que houvesse qualquer intenção de difundir a idéia que na terra tudo está conectado.

    A idéia central do filme é que a terra está destruindo sua natureza e pondo o dinheiro acima da vida(humana ou não). E isso é a mais pura verdade. Denotar menssagens de ecologismo, natureza acima de tudo, etc.. já é paranóia.

    Peço encarecidamente aos formadores de opinião que tomem cuidado, sessões de cinema não são sessões de lavagem cerebral, quem vai ver um filme não está nem um pouco interessado em formar opiniões e mudar seus conceitos. Criticar obras assim, dizer que são “nova era”(peço também que não levem esse monte de babozeira a sério, existem falsas doutrinas mais concistentes para combater-mos)pode gerar contra-testemunho e acusações de fanatismo, o que só afasta as pessoas de Deus.

  15. Pois bem…

    Não assisti o filme e nem irei … não devemos ser fanáticos…

    mas acredito que também não podemos perder um mínimo

    de sensibilidade espiritual (pneumática), que nos leva a usarmos de

    discernimento e deixar muitas vezes se acender uma luzinha vermelha de PARE

    indicando que acima de minhas vontades e achismos, do meu lazer, deixo Deus me guiar…

    realmente um filme, é um filme, não vai te levar pro inferno… mas será que vai te “aproximar de onde”…

  16. O filme tem algum conteúdo não-cristão mas, para daí condená-lo como ‘tentativa da cultura e da ciência de neutralizar a obra de Deus na vida humana” vai um longo caminho !

    O filme é bem feito, diverte ( O slogan da empresa de cinema São Luiz era : ” Cinema é a melhor diversão ” ) e tem algumas boas mensagens.

    As alusões à Nova Era e outras besteiras a gente joga fora ….!

    Como dizia São Paulo : ” Examinai tudo, guardai o que é bom . ”

    Shalom !
    * foram retirados do comentário a alusão “Fido dido” à empresa por uma questão de respeito a imagem da mesma.

  17. Queridos, o mais lindo do filme é a mensagem final. O mocinho “morreu” em seu corpo humano para “ressurgir” com o seu novo corpo “Navi”.
    Bem, poderemos usar muitas metáforas do filme e usarmos como instrumentos de evangelização.
    O que fez o Nosso Senhor Jesus Cristo? Obedeceu ao Pai, e foi enviado em um corpo humano (encarnado- João 1:1 – “O Verbo se fez carne e habitou entre nós”.
    E a sua ressurreição? O Deus Todo Poderoso o ressuscitou dos mortos…Aleluia, e por isso termos certeza de nossa entrada nos céus.
    São Paulo nos diz, em Gálatas que: Vivo não mais eu, mas Cristo vive em mim. Uau!!!
    Pois bem…Vamos aproveitar e difundir o Espírito Santo habitando em nós,(conexão direta, maravilhosa. que disse o Cláudio); e aí este filme AVATAR vai nos permitir usá-lo como parábola para pregar o evangelho.
    Apesar de que só a Bíblia basta…..
    Que maravilha, quando o Senhor Jesus retornar e implantar o seu Reino na Nova Jerusalém, receberemos novos corpos ressurretos, muito melhores que o “azulzinho” do filme, que voarão como águias…..Demais.
    Abraços a todos.
    Que o Senhor Jesus Cristo lhes dê a paz.

  18. Bom dia a todos.

    Sem ofender ninguem, respeitando sempre as diferencas de opinioes de todos porem… acredito em minha opiniao que devemos deixar de sermos tao limitados , acho que devemos parar de ver maldade e achar que tudo e’ ataque ou com intencao de profetizar ideias alusivas a sociedades anti-cristas.

    Avatar nos passa uma mensagem de paz e conectividade dos seres, onde todos se integram na paz e com harmonia, como deveria ser conosco eu acredito.

    Porque nao ver por esse lado o filme? Porque somente atacar sem mencionar que ele pode nos ajudar a refletirmos quanto a nossa conduta com nossa casa terra, quanto ao respeito as racas, aos seres?

    Sou cristao e nao me senti em nenhum momento ofendido na minha fe’, nao senti-me influenciado em nenhum aspecto, o filme se trata de uma ficcao onde se em algum momento critica algo, com certeza critica nos humanos, que nao respeitamos nada e sim vamos cada vez avancando, devastando, matando, derramando sangue em nome de progressos deixando pelo caminho muita vez viuvas e filhinhos chorosos. Nesse caso ainda mostra eles querendo se salvar destruindo a vida em outro lugar…

    Ele passa uma mensagem alusiva a espiritualidade mas tambem e denovo, nao acredito e nao vi nada que me ferisse qualquer sentimento quanto a isso.

    Forte abraco a todos e que Jesus nos ilumine nosso caminho.

    • Caro Irmão,

      Claro que existem pontos positivos no filme e nossos posts objetivam oferecer sua contribuição para o debate sobre o filme e sua mensagem.Não se trata de ver uma perseguição onde não existe, mas de mostrar um outro lado que seja capaz de despertar o senso critico em cada um de nós.

      Existem, como tudo, pontos positivos e pontos negativos.Dentro da proposta do blog de ser um espaço de análise cristã,publicamos comentários a favor e comentários contra para que desta saudável expressão de opiniões possamos crescer juntos no rumo da verdade que é Cristo,cabeça de nossa Igreja!

      As opiniões discordantes,quando respeitosas e fundamentadas, são sempre bem vindas!

  19. Acredito que todos deviam perceber que o filme é só ficção, não tem porque você assistir o filme e levá-lo para a sua vida real, é como uma história qualquer ou contos de fadas, ou seja é uma coisa que não existe.
    Se fosse para acreditar acreditaria que existe o lobo mal e chapéuzinho vermelho, ou também a alice no país das maravilhas que diminui o seu tamanho e vive uma aventura em outro lugar…
    É só ficção na minha vida não irá interferir em exatamente em nada, pois acredito muito em DEUS e não é um filme que vai mudar a minha cabeça, muito menos no que eu acredito que é em JESUS CRISTO.

  20. Acho muito chato este blog ficar postando críticas aos filmes e a outros assuntos da forma como o fazem. Sei que é objetivo do blog e eu é que estou errada de estar reclamando, mas como católica praticante e envolvida com pastorais que sou, me vejo na obrigação de dizer o que penso e sinto. Me parece que tudo que escrevem não tem base em fatos (já que partem de achismo e de questionar se tal filme, livro ou etc, teve referência em algo que a igreja não apoia) e é descrito de forma irônica e pejorativa, o que me lembra um posicionamento questionador, rebelde e radical, que se afasta a cada dia mais do amor de Jesus.
    Deus nos deu dentre muitos sentimentos, a imaginação e o discernimento, pra que possamo ver mil filmes, ler mil livros e tenhamos o poder de escolher…se escolhermos mal, aprenderemos, é melhor assim, do que ter um dedo apontado para nosso rosto, descriminando tudo o que fazemos ou deixamos de fazer no mundo. Precisamos ter o coração mais leve, pessoal, porém, sempre atento a palavra de Deus!

    • Sabemos que a posição do Blog,às vezes, é um pouco chata..Mas essa é nossa missão: “Despertar” nossos neurônios e sacudir e afirmar nossos valores enquanto PENSAMOS e REFLETIMOS – como você fez ao partilhar sua opinião.

      Shalom!

  21. Primeiro quero parabenizar o blog pelas discussões que tem promovido. Muito boas mesmo. Com relação a este filme (que eu não vi ainda)percebo, pelo artigo e pelos comentários, que tem muita a coisa a ser pensada. Achei engraçado quando um dos comentaristas acima disse que “se perguntar pros criadores do filme eles nem vão saber o que é isso” (sobre a análise teológica do autor do artigo). É claro que isso é possível (apesar de achar que não é esse o caso deste filme), pois, como sustentam as teorias discursivas, os sentidos não estão dados a priori nos discursos, eles são sim construidos por aqueles que deles se apropriam. Por isso, é claro que para muitos, o filme não vai passar de um uma história, um momento de lazer, como já foi dito. Poucos serão aqueles que se darão ao trabalho de refletir, analisar filosófica ou teologicamente. No entanto – já disse isso em outras oportunidades – é fato que somos altamente influenciados pelas mensagens, subliminares ou não, que nos são transmitidas por esses veículos aparentemente inofensivos. É válida sim a posição do blog, eu acho, á medida que esclarece sobre os princípios da fé cristã católica. Daí a julgar ou inferiorizar as outras formas de pensamento ou ligação com Deus é outra coisa. As diferentes crenças, as diferentes culturas têm formas diferentes de se ligar ao sagrado, ao transcendental,a Deus, enfim. Acredito que não nos cabe atribuir juízo de valor a essas práticas, sob pena de estarmos sendo intolerantes. Também não entendo esses alertas como uma forma de proibição (e nem funcionaria pois alguns comentários aguçam ainda mais a vontade de assistir). Considero salutar e oportuno que aproveitemos esse espaço para ampliarmos o conhecimento sobre a nossa fé e passemos a ler com mais profundidade, consciência e criticidade os signos que a mídia nos oferece mais firmes ainda naquilo que acreditamos.

  22. concordo com vc que o filme 2012 foi muito anticatolico mostrando principalmente um papa sendo destruido pelo desabamento da basilica de são pedro, soou até como uma perseguição, isso é pra você ver como nós homossexuais nos sentimos.

  23. Olá a todos!
    Estive dando uma olhada nos diversos comentários a cerca do filme Avatar. Assisti, gostei e recomendo! Ficção pura e simplesmente e creio que é preciso ter o minimo de inteligencia pra se perceber isso. Sobre Paulo Coelho, já li, não gostei, nada tem a acrescentar. Não creio que ele mereça uma cadeira na Academia de Letras ao lado de verdadeiros mestres da literatura, mas…

  24. Bom dia,

    Claro que o filme avatar não pode ser levado a sério, é apenas uma obra de ficção, assim como o próprio cristianismo o é. O que posso dizer é que tenho uma vida abençoada e feliz, buscando um Deus que interage comigo diariamente desde que abandonei a idolatria a um ser humano chamado Jesus.

    Um abraço

  25. Típico argumento de teologia da libertação:

    “Temos que manter a calma. É apenas um filme. Não há nenhuma menssagem religiosa, nenhuma “glorificação da nova era” nenhuma “deificação da natureza”. Se perguntar pros criadores do filme eles nem vão saber o que é isso. A grande proposta do filme é a critica ao capitalismo destrutivo. Que está correndo a nossa amazonia por exemplo.”

    Não liga nem para o que faz as falsas religioes, apenas quer saber se os capitalistas tão fazendo mal.

    O filme explica de forma didatica o Panteísmo, se voce tiver uma aula de panteismo depois do filme vai poder se lembrar bem de cada detalhe sendo o filme citado.

  26. vcs n acham um exagerooo tudo isso?????
    Agora n se pode ver filme mais????
    N pode comer salgadinho porq tem sentido subliminar.. produros da Unileve saum do Diabo….Coca cola tem pacto com o inimigo…cantores , todos q fazem sucesso tem pacto!
    Nem a Helo kity escapou!!!!E agora atéh Avatar!!!
    Meu Deus…
    Cuidado com o Fanatismo povo!!Pelo amor de Deus!!!!!

  27. Sem duvida alguma tenho esse direitooo!!!!!!
    Mas acho q vai se tornando um exagero tudo issoooo.. os tempos mudaram…. a Igreja vai ter q mudar!!!
    CONSCIENCIA AMBIENTAL VEM DE DEUS!!!
    POLUIR..DESMATAR ÉH UM DOS MAIORES PECADOS TANTO QUANTO ABORTO!!!
    PORQ MATA VIDAS….E NAUMSÓH ANIMAIS….MATA VIDAS SIM…
    TODAS AS PROXIMAS GERAÇÕES ESTÃO COMPROMETIDAS POR CAUSA DA FALTA DE PENSAMENTO AMBIENTAL DO HOMEM!!
    ÉH QUASE PIOR Q ABORTO… OU ÉH A MESMA COISA…POIS N DAMOS DIREITOS DE INDEFESOS SE DEFENDEREM…
    ESTAMUS MATANDO VIDAS Q NEM NASCERAM!!

  28. and
    “Agora n se pode ver filme mais????”

    Claro que há muitas coisas que aparentemente são lícitas que carregam algum mal, por isso voce sente um incômodo por ver que coisas licitas estão carregando tanto mal hoje em dia.

    Consciencia ambiental vem de Deus, mas ecoxiismo (fanatismo ecológico) não vem.

    Então voce acha que ter aborto estaria protegendo as proximas gerações para evitar a superpopulação?

    Ja ouviu falar na vinda de Cristo? porque se preocupa com o que vai comer ou vestir? quem se preocupa com isso são os pagãos, isso ta no evangelho. E no filme avatar todos os Navis são pagãos.

    Mas eu vejo o filme Avatar e não deixo me contaminar, porque sei onde ta cada falsa doutrina.

  29. Vi uma vez uma revista dos TESTEMUNHAS DE JEOVÁ…que diziam q n deviamos nos preocupar com o que está acontecendo com a natureza…pois Deus dará um jeito de nos tirar dessa!!!
    Como asssim n temos que nos preocupar com o que vamos comer ou vestir????
    Como n vamos nos preocupar com a natureza???
    Ah táh… entaum eu vou sentar na minha casa e vou ficar esperando a comida…vir na minha casa…e o dinheiro tbem!!!Sem duvidas;… n virá!!!!
    Jáh ouviu falar que a PROVIDENCIA DIVINA naum acontece sozinha???
    Ela precisa de maos e pés disponiveis pra botar em pratica a vontade de Deus!!!!
    Como assim n se preocupar com a natureza!!!
    O povo jáh n gosta de preservar o meio ambiente.. ai se nós cristãos n tomarmos uma posição firme sobre a natureza…osaaa.. oq esse mundo vai virar???
    TEMOS Q PENSAR NAS PROXIMAS GERAÇÕES…SIM!!!!!
    ELES MERECEM COISA BEM MELHOR DOQ UM MUNDO POLUIDOOO ..SUJO..CHEIO DE DOENÇAS!!!!
    N sou afavor do aborto… !!E n se preocupe com superpopulação…porq a natalidade táh diminuindo… o BRASIL se manter os ritmos de natalidade vai chegar a 200 milhoes e vai começar a diminuir!!!
    Assim acontecerá na EUROPA… mas será bem mais drastico…tendo apenas 90 milhoes de habitantes….paises como Portugal que hoje possui 10 milhoes de habitantes…. em 2025 terá 50 mil habitantes!!!
    De superpopulação n iremos sofrer!!!!
    Sóh a Africa chegará a 2 bilhoes de habitantes no futuro.. mas isso compensa…a peerda na Europa!!!!!

  30. Meu Deus, se dependesse de vocês estaríamos ainda na época da inquisição.
    Deus é um só, meus queridos, e rege todo o universo, muito além da dualidade. Se Jesus estivesse por cá, vocês estariam crucificando-o de novo.
    O que pega é o amor incondicional, a luz. ;)

  31. Irmãos, assisti recentemente ao filme via DVD, então fiquei curioso e encontrei algumas críticas feitas por irmãos católicos. Confesso que me surpreendi, pois tive um ponto de vista diferente sobre o filme, embora igualmente baseado na sã doutrina revelada pelo Senhor.
    Primeiro, Pandora é um satélite que orbita um planeta gasoso, e não um planeta como muitos pensam. É uma realidade TOTALMENTE IMAGINÁRIA, tal como ocorre em Star Wars e Senhor dos Anéis, ninguém afirma que Pandora existe de fato.
    Imaginemos, porém, como seria se fosse real: Os Navi nunca ouviram falar do Deus único, Pai, Filho e Espírito Santo. Procuram a Verdade “como que às apalpadelas” (Atos 17,27). A Redenção realizada por Jesus não foi por eles, já que somente nós humanos herdamos o pecado original (cf. Heb 2,16); todavia toda a Criação sofre de alguma forma as conseqüências do pecado humano, e portanto “aguarda ansiosamente a manifestação dos filhos de Deus” (Rm 8,19). Entre os humanos, existem bons e maus, e nisso a realidade e o filme estão de acordo! Os “maus” são os que se obstinam no mal; e os bons têm todavia suas fraquezas que são conseqüências, como que seqüelas do pecado original.
    Eywa não me pareceu, quando assisti ao filme, uma divindade, mas sim algo parecido com um cérebro gigante, no qual cada árvore de Pandora funciona similarmente a um neurônio. Quem explica isso é a personagem Grace, quando tenta convencer o empresário a não destruir a “árvore-lar”. Quando Jake, “rezando” a Eywa, sugere-lhe que vasculhe a memória de Grace, eu, como cristão, fiquei pensando: se essa Eywa tivesse a oportunidade de vasculhar a memória de um cristão que conhece razoavelmente a doutrina em que crê, certamente ela própria deduziria que existe um único Deus que criou tudo o que existe, inclusive Pandora e Eywa. Observação: Eywa e Pandora não existem de fato, estou só imaginando como seria se existissem!
    Os Navi caem um pouco naquilo que lemos em Sabedoria 13: não conhecendo o Deus verdadeiro, mas desejando encontrar a verdade, admirados pela grandeza de uma determinada criatura (na ficção, Eywa; no mundo real, pessoas que adoram estrelas), confundiram-na com uma divindade.
    Já Jake, antes de “conectar-se” a Eywa pelo cabelo, considera que provavelmente só está falando com uma árvore. Ele faz aquilo que os Navi chamam de “oração”, todavia não parece reconhecer Eywa como “divindade”. Essa criatura imaginária não é onipotente, tanto que não pôde trazer Grace de volta à vida; mas tem suas potencialidades: numa realidade imaginária na qual existam aquelas conexões similares às nossas sinapses neurais, é verossímil que Eywa possa influenciar a natureza, influenciando o sistema nervoso dos animais através do seu campo eletromagnético (o mesmo que desregula os instrumentos dos humanos). O que os Navi fazem aos animais através daquela conexão pelo cabelo, não é absurdo imaginar que Eywa poderia fazer pelo seu campo eletromagnético – indução eletromagnética, coisa bem conhecida da Física.

Deixe um comentário