Blog Carmadélio http://blog.comshalom.org/carmadelio Artigos e notícias de interesse permanente selecionadas à luz da verdade e da fé Católica. Tue, 31 Mar 2015 12:11:29 +0000 pt-BR hourly 1 http://wordpress.org/?v=4.1.1 * A Igreja considera ‘maus tratos” como motivo determinante para nulidade matrimonial? http://blog.comshalom.org/carmadelio/45409-a-igreja-considera-maus-tratos-como-motivo-determinante-para-nulidade-matrimonial http://blog.comshalom.org/carmadelio/45409-a-igreja-considera-maus-tratos-como-motivo-determinante-para-nulidade-matrimonial#comments Tue, 31 Mar 2015 12:11:29 +0000 http://blog.comshalom.org/carmadelio/?p=45409 mulher-solidao

Se alguém perguntar: “Doutor, posso morrer por causa desta febre?”, o médico olhará calmamente para o paciente que, ingenuamente, faz essa pergunta e tentará explicar-lhe que deverá, primeiro, descobrir a causa da febre para, depois, saber se a sua enfermidade é ou não mortal, acrescentando, ainda, que certamente não deverá falecer em razão da febre – que é um sintoma – mas sim da enfermidade – que é a causa. O mesmo ocorre com relação aos maus tratos e as nulidades matrimoniais.

1. O que torna nulo um matrimônio é que a causa de nulidade esteja presente, viva, quando do casamento. Por exemplo: casar com uma pessoa que não tem o uso da razão faz nulo o matrimônio; porém, casar – como tem ocorrido com certa freqüência na vida real – com um praticante de hipismo que, durante a lua de mel, resolve montar um cavalo arisco, que o derruba no chão, batendo a cabeça e deixando-o com problemas mentais para o resto da vida, não faz nulo o matrimônio porque este foi válido na sua origem.

2. No caso de maus tratos físícos ou psíquicos, um bom especialista deverá buscar a causa: a que se devem? A um transtorno de personalidade? A uma grave enfermidade psiquiatra? A uma personalidade descontrolada ou explosiva? Ou passiva-agressiva? A partir de quando passou a padecer dessa grave enfermidade psíquica? Essa enfermidade o torna incapaz de ser um bom marido/esposa, bom pai/mãe? Ou seja: como procede o bom médico especialista, deverá pesquisar até a raiz, deverá ir a fundo, para determinar se existe ou não alguma causa de nulidade nesse matrimônio. Os problemas graves, assim como as enfermidades graves, não podem ser curadas a partir do superficial; deve-se chegar à causa para indicar o remédio adequado.

3. Quais são as causas pelas quais um matrimônio pode resultar nulo? Já as detalhei no livro “Nulidades Matrimoniales … que no lo separe el hombre” (=Nulidades Matrimoniais… Que o Homem não Separe), da editora Desclée de Brouwer, do qual sou autora. Nele apresento um elenco claro de todas elas que, por certo, não se encontra em nenhum outro livro. São 16 causas que afetam ao consentimento e outras 12 em razão de algum impedimento. Procurei escrever esse livro falando dessa matéria, que muito interessa, fazendo-o de um modo totalmente acessível, para que qualquer pessoa possa compreender bem. E me alegro por ter recebido elogios, felicitando-me por ter conseguido.

4. Dizer que a Igreja “concede a nulidade”, como em certos artigos, programas de rádio, etc., não é correto. A nulidade não “se concede”, não “se faz”, não “se obtém”; a nulidade está presente desde o princípio, caso contrário, não haveria nulidade. O vínculo matrimonial “não se anula”. A nulidade “se declara”, “se reconhece”, mediante as investigações pertinentes.

* * *

ANEXO

Cardeal Carles esclarece espanhóis quanto a nulidade do matrimônio

 O arcebispo de Barcelona, cardeal Ricard María Carles, esclareceu que no caso das pessoas que sofrem agressões físicas por parte de seu cônjuge, só se poderá declarar nulo o matrimônio religioso quando demonstrado que os maus tratos começaram antes da celebração da união [conjugal].

O cardeal esclareceu, assim, aos espanhóis, que um matrimônio não se anula, mas pode ser nulo porque “não houve matrimônio desde o princípio”, por não reunir os contraentes os requisitos estabelecidos no Direito Canônico, como a liberdade ou a voluntariedade.

Segundo o cardeal Carles, no exemplo citado se poderia declarar a nulidade do matrimônio “apenas nos casos em que ficasse demonstrado que um dos cônjuges já era vítima de maus tratos antes de se casar com a pessoa que a maltratava”.

O arcebispo acrescentou que qualquer mau trato em um matrimônio não anula este; porém, se um juiz conclui que esse mau trato já se manifestava ou existia tal tendência no momento da celebração do matrimônio, então declarará a nulidade do mesmo, porque a pessoa que contraiu matrimônio estava incapacitada para a convivência ou a vida matrimonial”.

Segundo o cardeal Carles, “os juízes devem ser bem diligentes – como já o são – para verificar em quais casos o matrimônio é nulo desde a origem e quando não”.

Fonte: Interrogantes.Net. Tradução: Carlos Martins Nabeto.

]]>
http://blog.comshalom.org/carmadelio/45409-a-igreja-considera-maus-tratos-como-motivo-determinante-para-nulidade-matrimonial/feed 0
* Vaticano à ONU: Querem a igualdade da mulher? Não menosprezem o “gênio feminino”. http://blog.comshalom.org/carmadelio/45413-vaticano-a-onu-querem-a-igualdade-da-mulher-nao-menosprezem-o-genio-feminino http://blog.comshalom.org/carmadelio/45413-vaticano-a-onu-querem-a-igualdade-da-mulher-nao-menosprezem-o-genio-feminino#comments Tue, 31 Mar 2015 11:41:31 +0000 http://blog.comshalom.org/carmadelio/?p=45413 maternidade

O reconhecimento do papel especial e integral da mulher no progresso da humanidade não pode passar por cima da dignidade das mulheres como esposas, mães e como uma voz dos vulneráveis, disse recentemente uma autoridade do Vaticano às Nações Unidas.

O Observador Permanente da Santa Sé ante a Organização das Nações Unidas (ONU), Dom Bernardito Auza, lamentou que a “contribuição essencial das mulheres ao desenvolvimento da sociedade, através de sua dedicação a sua família e a criação da próxima geração não é reconhecida adequadamente”.

“Às vezes seu serviço invisível e muitas vezes heroico é inclusive menosprezado como um modelo antiquado e insalubre da vida feminina”, criticou.

Em duas conferências à comunidade internacional sobre a dignidade da mulher, realizadas nos dias 13 e 18 de março, Dom Auza assinalou que “tais críticas não vêm de uma valorização verdadeira da mulher em sua totalidade e sua verdadeira igualdade, em complementariedade e reciprocidade, com o homem”.

O Observador Permanente da Santa Sé ante a ONU também rejeitou a ideia de que a igualdade das mulheres requer que as mulheres realizem todos os mesmos papéis que os homens.

“O verdadeiro respeito pela mulher começa em aceita-la com todos os aspectos de sua humanidade. Isso envolve criar as condições para que ela viva livre e plenamente”.

Nos Estados Unidos, Reino Unido e Austrália, em março se celebra o Mês da História das Mulheres, e inclui a celebração do Dia Internacional da Mulher, em 8 de março.

Dom Auza destacou que ao promover os direitos e igualdade das mulheres, o papel da família não deve ser esquecido.

O Prelado enfatizou que as mulheres têm um grande número de dons e talentos para oferecer à sociedade, incluindo “não só os aspectos que compartilham em comum com o homem, mas também os dons únicos que pertencem a ela como mulher”, tais como a capacidade de ser mãe.

Esta, indicou, não é apenas uma capacidade física, mas abrange a capacidade de “uma forma de vida espiritual, educativa, afetiva, de criação e cultural”, seja ou não a mulher uma mãe física.

Esta “especial sabedoria para velar pela dignidade intrínseca de todos, para alimentar a vida e o amor e para desenvolver os dons dos outros” é a que se referiu São João Paulo II como o “gênio feminino”, explicou Dom Auza.

Ao minimizar o papel da família e da maternidade, indicou, as sociedades se arriscam a negar a dignidade humana das mulheres como toda uma classe, e advertiu que “o valor e dignidade única da maternidade em algumas sociedades é insuficientemente defendido, apreciado e promovido, deixando as mulheres cultural e legalmente em uma posição de escolher entre seu desenvolvimento intelectual e profissional e seu crescimento pessoal como esposas e mães”.

Quando a família “é ignorada ou atacada, devemos colocar-nos de pé e defendê-la sinceramente e com respeito por todos, e corajosamente advogar por melhores estruturas e políticas que apoiem as mulheres trabalhadoras que desejam ter filhos ou que querem dedicar-se, parcial ou totalmente, aos cuidados de suas famílias”, assinalou.

Dom Auza também destacou que tanto a maternidade como a família são afirmadas na Declaração Universal dos Direitos humanos.

Em seu discurso de 18 de março, o Prelado se estendeu sobre estes temas, discutindo o papel das mulheres no desenvolvimento humano. O Prelado elogiou o trabalho de numerosas mulheres –incluindo o da Dra. Carolyn Woo, presidente e chefe executiva do Catholic Relief Services; da Magalie Dresse, proprietária do Caribbean Craft Haiti; e da Irmã Norma Pimentel, diretora executiva do Catholic Charities of the Rio Grande Valley – junto com santas e beatas por seu papel em ajudar o desenvolvimento das pessoas.

O gênio feminino, disse Dom Aúza, está relacionado profundamente com a “solidariedade no cuidado dos vulneráveis e em criar um mundo melhor”. Os governos são os responsáveis por assegurarem uma sociedade justa e o respeito pelos direitos de todas as pessoas, “alguns membros de nossa família humana caem em dificuldades ou têm deficiências e outros fatores de risco que, inclusive sociedades justas e bem ordenadas, podem passar por cima ou prestar menos atenção”.

Em casos como estes, “necessitam-se pessoas que se interessem, que os tratem com o amor que corresponde com a plenitude de sua dignidade humana”, uma tarefa para a qual as mulheres estão singularmente sintonizadas, explicou.

Este cuidado das pessoas, continuou, teve um impacto profundo sobre o desenvolvimento e história humana. Toda a civilização, disse, “tem uma dívida impagável de gratidão às menos registradas ou inclusive desconhecidas contribuições de mulheres que formaram as civilizações, como o silencioso, mas constante fluxo das águas profundas que dão forma aos rios”.

O desenvolvimento humano começa, disse, “nas relações entre os seres humanos e na forma como os seres humanos cuidam uns dos outros”, um campo muito influenciado pelo gênio feminino das mulheres.

A humanidade pode “aprender dele e ajudar a que este gênio se expanda e assuma uma maior influência para o bem dos indivíduos e da sociedade de hoje, e para a melhora das pessoas e nações do amanhã”, assegurou.

Fonte: ACI
 

]]>
http://blog.comshalom.org/carmadelio/45413-vaticano-a-onu-querem-a-igualdade-da-mulher-nao-menosprezem-o-genio-feminino/feed 0
* Católico e socialista. Dá para conciliar? http://blog.comshalom.org/carmadelio/45400-catolico-e-socialista-da-para-conciliar http://blog.comshalom.org/carmadelio/45400-catolico-e-socialista-da-para-conciliar#comments Sun, 29 Mar 2015 18:21:10 +0000 http://blog.comshalom.org/carmadelio/?p=45400 Comunismo-Marx

Católico socialista é igual a judeu nazista.

Alguém já viu algum judeu nazista? Eu, nunca, e creio que tal bizarrice jamais existiu ou existirá. Mas há um tipo de criatura similar, em termos de absurdo filosófico e moral: o católico que se diz socialista, ou que ajuda a colocar no poder políticos declaradamente marxistas. Esse tipo, infelizmente, existe aos montes!

Enquanto Hitler matou mais de seis milhões de judeus, os grandes líderes comunistas foram responsáveis pelo genocídio de cerca de 100 MILHÕES de pessoas. Estes números foram divulgados em 1997 por “O Livro Negro do Comunismo: Crimes, Terror, Repressão”, uma obra realizada em conjunto por professores e pesquisadores europeus. Se bem que dois dos autores do livro (Nicholas Werth e Jean-Louis Margolin) discordam deste total de 100 milhões de mortos… O número de vidas ceifadas pelos regimes do martelo e da foice estaria entre 65 e 93 milhões. 

A crueldade, a mentira e a violência do socialismo estão na sua raiz. Por isso, seus líderes sabem que não obterão o apoio popular se, antes, não desumanizarem as pessoas. E a melhor forma de fazer isso é afastá-las de Deus, é afastá-las, em especial, da caridade cristã. Isso fica mais do que evidente nas afirmações abaixo:

“O comunismo começa onde começa o ateísmo.” Karl MARX  (Fulton J. Sheen, Communism and the Conscience of the West)

“O comunismo, porém, abole as verdades eternas, abole a religião e a moral.” Karl MARX (Manifesto Comunista)

“Devemos combater a religião. Isto é o a-b-c de todo o materialismo e, portanto, do marxismo”.

Que palavras meigas! Não é à toa que grande parte parte das vítimas dos regimes socialistas é composta por cristãos, das mais diversas denominações. Por isso, ao aparecer aos Pastorinhos de Fátima, Nossa Senhora revelou o seu temor de que a Rússia espelhasse os seus erros pelo mundo, a Virgem pedia orações para que a ideologia demoníaca do comunismo não se espalhasse para outras nações, o que de fato veio a ocorrer.

Ainda hoje, nos países governados por ditaduras comunistas, os cristãos continuam a ser duramente perseguidos por causa de sua fé, até mesmo na “avançada” China.. Apesar de tudo isso, os políticos de partidos declaradamente marxistas contam com a simpatia e o voto de milhões de católicos.

Não vamos pegar pesado com os adolescentes das PJs da vida, que andam por aí exibindo a imagem de um facínora na camiseta. Desde a infância, ano após ano, eles sofrem uma verdadeira lavagem cerebral nas salas de aula, Ssão levados a crer que  Che é uma versão de São Francisco de Assis com fuzil na mão… Mas ingenuidade tem limite, né, galera? 

Sabe aquele candidato simpaticão, filiado a um partido socialista, que você tá pensando em votar (ou em quem você já votou) nestas eleições? Ele tem em mente as mesmas metas de carniceiros como Lênin, Stálin, Mao Tse-tung e Pol Pot: abolir a moral, a família e a religião. Acha que eu tô exagerando? Então deixa de preguiça e dá uma lida no programa do partido desse cara. Você verá ali:

Ainda que escamoteado, o plano de repressão das liberdades individuais, especialmente pelo controle dos meios de comunicação;
a defesa das uniões homossexuais e a doutrinação das crianças nas escolas, para que vejam com normalidade (dentro da norma) o comportamento homossexual;a defesa do aborto (muitas vezes indicada pela expressão “direito reprodutivo das mulheres”);a campanha pelo fim da propriedade privada;o estímulo ao ódio e à luta de classes,etc.

Para tentar se desvincular da imagem das pilhas de cadáveres e do autoritarismo desumano dos governos totalitários comunistas, os políticos socialistas, dando uma de espertos, criticam os excessos de gente como Stálin (como se ele fosse a única maçã podre deste cesto imundo), e dizem propor um socialismo comprometido com a liberdade e a democracia. 

Mas a máscara de “defensores da liberdade” dos políticos socialistas nunca demora muito pra cair. Na Venezuela, por exemplo, o presidente Chávez, quando vivo, fechou diversas rádios e TVs, por terem cometido o “crime” de criticar o seu maravilhoso governo. E, aqui no Brasil, os políticos de esquerda já não escondem de ninguém que estão doidinhos para controlar os conteúdos veiculados pela mídia. E pretendem conseguir isso por meio da aprovação de uma nova lei.

Socialista querendo tirar onda de democrata ..sobre isso, é interessante esta declaração:

“De início, se mostram amantes da ‘democracia e da liberdade’, mas logo, quando podem, revelam que sua democracia (…) não passa de matar quem não concorda com eles ou destruir toda oposição a sua utopia. O século 20 é a prova cabal deste fato.” (Luiz Felipe Pondé, filósofo. Fonte: Folha de São Paulo)

A definição é perfeita, DECOREM ISSO: o ódio marxista ao cristianismo e a meta de destruir um a um os valores cristãos fazem parte do DNA dos políticos socialistas.

É verdade que a ameaça aos valores defendidos pela Igreja parte não só dos políticos de esquerda. Porém, a “vantagem” daqueles que não possuem o gene do marxismo é que, com eles, ao menos os cristãos têm alguma possibilidade de diálogo, têm maior potencial de pressão. Já um político com o socialismo na veia jamais desiste da sua meta de implementar um estado totalitário. E, até conseguir isso, ele vai derrubando todo os vestígios de cristianismo e de democracia que vê pelo caminho.

Adaptado da fonte original: O catequista. http://ocatequista.com.br/archives/7201

]]>
http://blog.comshalom.org/carmadelio/45400-catolico-e-socialista-da-para-conciliar/feed 0
* Impressionantes e comoventes imagens da Semana Santa em Lucena, Espanha. http://blog.comshalom.org/carmadelio/45397-impressionantes-e-comoventes-imagens-da-semana-santa-em-lucena-espanha http://blog.comshalom.org/carmadelio/45397-impressionantes-e-comoventes-imagens-da-semana-santa-em-lucena-espanha#comments Sun, 29 Mar 2015 11:19:14 +0000 http://blog.comshalom.org/carmadelio/?p=45397

]]>
http://blog.comshalom.org/carmadelio/45397-impressionantes-e-comoventes-imagens-da-semana-santa-em-lucena-espanha/feed 0
* De onde vem as palmas do Domingo de Ramos no Vaticano? http://blog.comshalom.org/carmadelio/45392-de-onde-vem-as-palmas-do-domingo-de-ramos-no-vaticano http://blog.comshalom.org/carmadelio/45392-de-onde-vem-as-palmas-do-domingo-de-ramos-no-vaticano#comments Sun, 29 Mar 2015 10:57:51 +0000 http://blog.comshalom.org/carmadelio/?p=45392 poep-6

Da cidade espanhola Elche, a grande palma que será colocada no obelisco. Por tradição que remonta a 1585, mais de 2.000 palmas chegam de Sanremo ao Vaticano

No Domingo de Ramos renova-se a tradição de enviar da cidade espanhola de Elche ao Vaticano, as palmas que serão utilizadas na benção antes da celebração eucarística, e colocadas ao lado do obelisco no centro da praça. Outras palmas serão entregues ao Santo Padre, aos cardeais e fiéis presentes na Praça de São Pedro, provenientes da cidade italiana de Sanremo. Como diz a tradição, as palmas são trabalhadas individualmente por professores que, com grande habilidade, deixam as folhas especialmente preparadas para a ocasião.

A cidade de Elche seguiu a tradição, e dias antes do início da Semana Santa, enviou as palmas brancas que serão entregues a algumas personalidades no Domingo de Ramos. Entre elas, o Papa Francisco. A palma colocada sobre o obelisco é uma criação do atelier Serrano Valero. Uma empresa familiar que há mais de cinco gerações se dedicada ao trabalho desta palma branca.

ZENIT entrevistou Paqui Serrano, uma das funcionárias deste atelier. Ela explicou que a tradição de enviar ao Vaticano uma palma confeccionada por eles tem mais de 20 anos.  “É um pedido da prefeitura, um presente que a cidade de Elche faz ao Papa e ao Vaticano a cada ano”. As palmas enviadas são duas, uma trabalhada artesanalmente e outra lisa. A palma de Elche, até o momento, é a que fica no obelisco, abaixo do crucifixo, para bênção antes da missa. É uma peça muito grande, com cerca de três metros de altura, informa Paqui. A tarefa de produzir a palma envolve todos os trabalhadores da loja, entre 5 e 6 pessoas. Sendo uma empresa familiar, todos os dias trabalham apenas eles, mas quando chega este período outros parentes e amigos colaboram. “Para nós é uma honra que a cada ano o município nos faça este pedido. É também motivo de orgulho ver que uma peça tão importante, que trabalhamos no atelier com muito carinho, esteja na Praça de São Pedro visível para todos. Quando vemos no dia, ficamos emocionados”, diz Paqui.

Muito mais antiga é a tradição das palmas provenientes de Sanremo, por um privilégio antigo que o Capitão Bresca obteve em 1586 de entregar à Igreja de São Pedro as palmas para o Domingo de Ramos.

O Capitão Benedetto Bresca estava em Roma, na Praça de São Pedro no dia 10 de setembro de 1586, dia que foi elevado o obelisco egípcio, solicitado pelo Papa Sixto V. Elevar o obelisco, de 26 metros de altura e 350 toneladas era uma tarefa difícil, por isso o Papa pediu aos fiéis reunidos na praça silêncio absoluto. Mas o capitão desafiou a ordem e gritou “Aiga ae corde” (água nas cordas – em dialeto da Ligúria) no momento em que as cordas que prendiam o obelisco, muito apertadas, parecia que iriam ceder. Por sua experiência marítima, o capitão sabia que as cordas molhadas impediriam que escorregasse. E assim, o Papa quis recompensá-lo e perguntou-lhe se ele mesmo poderia escolher a forma. Então, Bresca pediu o privilégio, a ele e a seus descendentes, de fornecer as palmas pascais ao Pontífice. Desde então, a tradição se mantém viva.

Além disso, neste ano, alguns galhos de oliveira que serão distribuídos aos fiéis presentes na Praça de São Pedro, no Domingo de Ramos, chegarão da região Cerignola, Itália. Conforme comunicado pelo Vigário Geral da Diocese de Cerignola-Ascoli Satriano.

Zenit

]]>
http://blog.comshalom.org/carmadelio/45392-de-onde-vem-as-palmas-do-domingo-de-ramos-no-vaticano/feed 0