Doutor Estranho

doctorstrangeMais um filme de herói da Marvel!!! Eba!!! Será?!

Atenção! Contém Spoilers!

Sinopse: Doutor Stephen Strange (Benedict Cumberbatch) é um cirurgião de Nova York, bem sucedido e arrogante, que entra em desespero depois de sua carreira ser definhada por um acidente de carro que destrói suas mãos. Quando esgota seu dinheiro e opções, decide viajar ao Nepal em busca de uma cura espiritual, mas o que encontra, abre sua mente de maneiras nunca imaginadas e o colocam no caminho para tornar o Mago Supremo da Marvel.

Aqui no Projeções de Fé devemos avaliar este filme sob dois aspectos: 1. como produção cinematográfica; 2. sob o “olhar PdF”.

Como produção cinematográfica o fã deste tipo de filme pode comemorar. Não é o melhor filme da Marvel, porém, mesmo com aquele gostinho de que poderia ter um roteiro melhor, a produção é muito boa. A caracterização dos personagens está muito boa (também, com este elenco fica bem mais fácil), a produção gráfica ficou incrível, e somos apresentados a um novo herói e personagem. 

No entanto, nem tudo são flores.

O personagem principal passa de um grande cirurgião a Mago Supremo, eis que ao buscar a sua cura física, encontrou uma cura espiritual ao dominar forças além de sua compreensão. Resumindo, ele mexeu com forças ocultas sobrenaturais. Ainda que, em alguns momentos, o filme tente explicar as situações com alguma pseudo-ciência (prestem atenção no que é o Olho de Agamoto – colar que o Doutor Estranho usa -, ou as discussões de inimigos de outras dimensões), ainda assim estamos lidando com Ocultismo.

Neste aspecto, o Catecismo da Igreja Católica é específico:

2117. Todas as práticas de magia ou de feitiçaria, pelas quais se pretende domesticar os poderes ocultos para os pôr ao seu serviço e obter um poder sobrenatural sobre o próximo – ainda que seja para lhe obter a saúde – são gravemente contrárias à virtude de religião. Tais práticas são ainda mais condenáveis quando acompanhadas da intenção de fazer mal a outrem ou quando recorrem à intervenção dos demônios. O uso de amuletos também é repreensível. O espiritismo implica muitas vezes práticas divinatórias ou mágicas; por isso, a Igreja adverte os fiéis para que se acautelem dele. O recurso às medicinas ditas tradicionais não legitima nem a invocação dos poderes malignos, nem a exploração da credulidade alheia

Não se trata de intolerância religiosa ou preconceito, mas é fato que tais práticas são completamente contrárias à fé católica.

Portanto, ainda que seja um filme de herói com uma ótima produção, não há como se negar que o Doutor Estranho assume linha espiritual que o ex-exorcista do Vaticano, o falecido Padre Gabriele Amorth, já nos alertou:

“(…) sim, o demônio pode dar poder e benefícios. É o que faz, por exemplo, com todos os magos e bruxos: o poder da adivinhação e de provocar perturbações; pode também dar vantagens materiais de riqueza, sucesso, prazeres. (…)”

Importante destacar que em determinado momento do filme, os vilões fazem um feitiço dentro de um templo cristão (não dá para se ter certeza de que é católico, mas parece ser), deixando a entender que as forças do mal superam o poder de Deus. Para alguns, isso seria uma interpretação forçada, mas levando em conta que estamos falando de um filme que trata especificamente de aspectos espirituais, essa referência não parece ser uma teoria da conspiração.

Como mais um filme da Marvel ele é legal (e realmente é), mas espiritualmente, ele se baseia em um grande erro. Desta forma, sob o “olhar PdF”, não há como não considerá-lo como um filme ruim.

RUIM

Ficha Técnica:

Gênero: Ação.
Direção: Scott Derrickson.
Roteiro: Jon Spaihts, Joshua Oppenheimer, Thomas Dean Donnelly.
Elenco: Benedict Cumberbatch, Chiwetel Ejiofor, Mads Mikkelsen, Rachel McAdams, Tilda Swinton.
Produção: Kevin Feige.
Trilha Sonora: Christopher Young.
Duração: 115 min..
Ano: 2016.
País: Estados Unidos.
Estreia: 03/11/2016 (Brasil).
Distribuidora: Walt Disney Pictures.
Estúdio: Marvel Studios.
Classificação: 12 anos.

Trailer

4 thoughts on “Doutor Estranho

  1. Perfeita crítica! Espiritualmente falando, o filme não é recomendável! Tive a nítida sensação de que era a divulgação da Nova Era! Se eu soubesse disso antes nem teria visto!

  2. Olha, vou ser sincero: gostei muito do filme. E assim que vi a tag “Esse é ruim”, logo pensei: “Lá vem o Shalom tirando a graça do filme…” Mas agora q eu vi sou obrigado a concordar por conta da parte da igreja: não fiz, na hora, o link entre “mago do mal usando magia dentro de uma igreja”. Totalmente desnecessário, uma afronta até.
    Se não fosse por isso, iria discordar da resenha, porque, para pessoas de fé firme o fato dos poderes do Estranho se basearem em práticas de magia oriental não escandaliza, é só ficção.

Deixe um comentário