Blog do Carmadélio

* O dia que o guerrilheiro Che Guevara deitou no chão da Capela Sistina, no Vaticano.

Che Guevara tinha 29 anos quando, de passagem por Roma, em 27 de agosto de 1959, da cidade sagrada só quis visitar a Capela Sistina. “Quando chegou, ele se deitou no chão para ver melhor os afrescos de Michelangelo”, me contou, em sua casa em Roma, o romancista asturiano Luis Amado Blanco, que foi o lendário embaixador de Cuba junto à Santa Sé e chegou a ser o decano dos embaixadores.

Estava de passagem, a caminho do Sudão em uma turnê pela Ásia e o norte da África. Tinha apenas uma manhã em Roma antes de seguir viagem. Quando lhe perguntaram na embaixada cubana o que queria visitar em Roma, esperando que respondesse o Coliseu, as Termas de Caracalla ou o Circo Máximo, surpreendeu a todos dizendo que só queria ver a Capela Sistina no Vaticano.

Não foi uma visita relâmpago, como a da maioria dos milhares de turistas que desfilam diariamente pela cidade. O revolucionário cubano dedicou toda a manhã à Capela Sistina. Ele a esquadrinhou – me contou o embaixador Amado Blanco – em todos os seus ângulos. Ficou horas ali, imóvel, às vezes deitado no chão, enquanto os turistas passavam. 

Nove anos depois, faz agora meio século, o guerrilheiro em conflito com Fidel Castro e que sonhava com uma América Latina comunista, seria fuzilado na Bolívia aos 39 anos.

O Ditador Fidel sempre quis manter boas relações com os papas e teve a sagacidade revolucionária de deixar seu embaixador na Santa Sé durante quase 15 anos sem substituí-lo. Assim, Amado Blanco tornou-se o decano dos embaixadores no Vaticano, encarregado de fazer, uma vez por ano, um importante discurso diante do Papa e de todo o Corpo Diplomático credenciado junto à Santa Sé. Assim, durante anos, era o embaixador da Cuba comunista que pronunciava seu discurso ao Papa e aos embaixadores de todo o mundo.

Fonte: El País

(Visited 221 times, 1 visits today)

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio, postaram comentários que não cumprem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seguir

    1. CARÍSSIMO MARCUS,

      A intenção do post foi mostrar que mesmo um homem mau, como Guevara, tem dentro de si a sede e o desejo por aquilo que o ultrapassa! mostrar que as pessoas, por piores que tenham sido, são amadas por Deus e que sua maldade, no caso dele confirmada pela história, revela também até que ponto o homem, nós!podemos muitas vezes ir. Não vejo Guevara como um Demônio embora não descarte a inspiração maligna na sustentação de sua visão de mundo e a forma como lidava com ela. Em suma: Na ânsia de querer a legitima destruição do mal podemos encarnar a maldade tão oposta da bondade do Deus que amamos.(“ASSEGURO A VOCÊS QUE SE CRISTO CRUZASSE MEU CAMINHO EU FARIA O MESMO QUE NIETZSCHE: NÃO HESITARIA EM ESMAGA-LO COMO UM VERME” (Frase do Che Guevara) – CASTANEDA, 2006, PAG. 75.)
      Guevara foi um homem mau que fez um imenso mal para o mundo, Marcus, mas foi capaz de se extasiar diante da beleza, a mesma que “salvará o mundo”. Há esperança!

  1. vdd Carmadelio, entendi assim. Agora recordei a passagem filipenses 2, 10s……para que ao nome de Jesus todo joelho se dobre no céu na terra e debaixo da terra.