Blog do Carmadélio

Canonização: igreja reconhece milagre atribuído à intercessão de Giovanni Battista Montini, Papa Paulo VI.

Em breve, Paulo VI será santo. A reunião dos bispos e cardeais da Congregação dos Santos aprovou por unanimidade o reconhecimento de um milagre atribuído à intercessão de Giovanni Battista Montini. Estão faltando apenas a aprovação do Papa Francisco e o anúncio da data da canonização do Pontífice da Bréscia, que morreu em Castel Gandolfo há quarenta anos (no mês de agosto).

O milagre que servirá para sacramentar a canonização de Paulo VI tem a ver com a cura de uma menina que não tinha nascido – aconteceu no quinto mês da gestação. Um caso que foi estudado pela postulação da causa em 2014. A mãe, da província de Verona, na Itália, tinha uma gravidez difícil e corria o risco de abortar devido a uma patologia que poderia ter comprometido a vida do feto e da mãe. Poucos dias depois – a beatificação do Papa Montini, em 19 de outubro de 2014 –, a mulher foi rezar ao novo beato no Santuário das Graças. A menina nasceu saudável, e assim continua.

O milagre foi estudado pela Congregação para as Causas dos Santos. A impossibilidade de explicar a cura foi atestada no ano passado pela consulta médica do dicastério e depois analisada e aprovada pelos teólogos. O último passo foi o que ocorreu hoje durante a reunião dos cardeais. Agora, o cardeal prefeito, Angelo Amato, levará o voto dos bispos e cardeais ao Papa Francisco. A decisão final, obviamente, será sua. Bergoglio anunciará em um Consistório a data da canonização, que será celebrada em Roma, provavelmente em outubro, durante o Sínodo dos Jovens.

Em dezembro do ano passado, a revista diocesana da Brescia chegou a lançar a hipótese de uma possível data: “Neste ponto, a certeza é quase mais do que uma esperança. O mês de outubro pode ser o mais adequado. De 3 a 28 de outubro, será celebrada em Roma a 15ª Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos sobre os jovens, e religiosos de todo o mundo estarão no Vaticano. Que melhor ocasião para canonizar, depois de São João Paulo II, diante de uma parcela tão consistente do colégio episcopal, o outro Pontífice do Concílio Ecumênico Vaticano II? Seria, provavelmente, em um dos três primeiros domingos de outubro, embora a data mais confiável possa ser a de 21” desse mês.

O Papa Montini, que nasceu em 1897 e morreu em 1978, foi o Pontífice que levou a termo o Concílio Ecumênico Vaticano II e conseguiu encerrá-lo com um consenso praticamente unânime sobre os documentos votados. Ele também inaugurou a era das viagens apostólicas pelo mundo e viveu os anos da crise pós-conciliar. Ao beatificá-lo, Francisco, que costuma citar o magistério montiniano, disse: “Neste dia da beatificação do Papa Paulo VI, voltam-me à mente as palavras com que ele instituiu o Sínodo dos Bispos: ‘Ao perscrutar atentamente os sinais dos tempos, procuramos adaptar os caminhos e os métodos às múltiplas necessidades dos nossos dias e às novas características da sociedade’”.

Bergoglio agradeceu a Paulo VI por seu “humilde e profético testemunho de amor a Cristo e sua Igreja” e recordou que “o grande timoneiro do Concílio, após o encerramento do encontro conciliar, deixou anotado: ‘Talvez o Senhor tenha me chamado e eu me mantenha nesse serviço não tanto por qualquer aptidão que eu possua ou para que eu governe e salve a Igreja das suas dificuldades atuais, mas para que eu sofra algo pela Igreja e fique claro que Ele, e mais ninguém, a guia e salva’”. Nesta humildade – concluiu Francisco nessa ocasião – “resplandece a grandeza do Beato Paulo VI, que soube, enquanto se perfilava uma sociedade secularizada e hostil, reger com clarividente sabedoria (e, às vezes, em solidão) o timão da barca de Pedro, sem nunca perder a alegria e a confiança no Senhor”.

Fonte: Vatican Insider


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio, postaram comentários que não cumprem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seguir