Blog do Carmadélio

O incesto e a necrofilia “devem ser legalizados” de acordo com a juventude do Partido Popular Liberal Sueco.

Por Lizzie Dearden & Elsa Vulliamy [*]

incesto entre irmãos e necrofilia deve ser legalizado, argumentou uma ala do Partido Popular Liberal Sueco.

A filial de Estocolmo da ala da juventude do partido (LUF) votou sobre a moção polêmica em sua reunião anual no domingo. Ela solicitou a revogação de várias leis para legalizar o sexo consensual entre irmãos e irmãs com mais de 15 anos de idade, além de permitir que as pessoas “cedam” seus corpos para relações sexuais após a morte, sem risco de processo para o perpetrador.

Cecilia Johnsson, presidente da LUF Estocolmo, disse ao Aftonbladet que a legislação anti-incesto se tornou uma “lei moralista” e acrescenta: “Essas leis não protegem ninguém agora”.

“Eu entendo que [o incesto] pode ser considerado incomum e nojento, mas a lei não pode ser baseada no fato de ser nojento”.

O LUF também votou para apoiar a legalização de atos sexuais com um cadáver, desde que a pessoa tenha consentido enquanto viva.

A Sra. Johnsson disse: “Você deve decidir o que acontece com seu corpo depois de morrer, e se acontecer de alguém querer ceder seu corpo para um museu ou para pesquisa, ou se quiser deixar para alguém por sexo, então não deveria haver problemas”.

No entanto, o diretório central do Partido Liberal do Povo discordou, com o porta-voz Adam Alfredsson dizendo à Expressen que as propostas eram “de forma alguma endossadas pelo Partido”.

“O incesto é e deve permanecer ilegal”, acrescentou. “Nós achamos que continuará sendo ilegal usar o corpo de um homem morto de uma maneira [sexual]”.

Enquanto isso, um ex-deputado liberal sueco, Carl B. Hamilton, foi ao Facebook para descartar as propostas da ala juvenil como um golpe de publicidade inventado por “imbecis”.

O Independent contatou a Sra. Johnsson para obter uma resposta. Não é a primeira vez que propostas similares foram apresentadas na Europa.

Em 2014, o Conselho de Ética Alemão também pediu o fim da criminalização do incesto entre irmãos, depois de examinar o caso de um homem preso por ter quatro filhos com sua irmã.

O conselho argumentou que o risco de defeitos em crianças não era suficiente para justificar uma lei que colocasse os casais em “situações trágicas”, e que a descriminalização do incesto não incentivaria a propagação de uma prática “muito rara”.

“A maioria do Conselho de Ética Alemão é de opinião que não é apropriado que uma lei penal preserve um tabu social”, diz um comunicado.

Uma porta-voz do partido CDU de Angela Merkel descartou a possibilidade de abolir a punição criminal na época.

[*] Lizzie Dearden & Elsa Vulliamy. “Incest and necrophilia ‘should be legal’ according to youth branch of Swedish Liberal People’s Party. Independent, 24 de Fevereiro de 2016.

Fonte original


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio, postaram comentários que não cumprem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seguir