Blog do Carmadélio

Muçulmanos convertidos ao Catolicismo na França: 40% a mais em relação ao ano de 2017, afirma órgão da Igreja Francesa.

Mais de 4258 adultos – um aumento de cerca de 40% em relação ao ano passado – receberam o batismo na Igreja Católica, na França, este ano na vigília da Páscoa.  Entre esses havia 280 pessoas que renunciaram ao islamismo, um número que vem crescendo nos últimos anos, segundo a Conferência Episcopal da França (CEF) citada pelo “Times of Israel”.

Na vigília da Páscoa é celebrada a Missa da Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, durante a qual tradicionalmente é dado o batismo aos catecúmenos.

Perto de 60% dos adultos tinha entre 18 e 35 anos. 53% e provinha de famílias de tradição cristã. 22% até à conversão diziam-se “sem religião”, ou ateus. O número dessas conversões aumentou 35% nos últimos dez anos.

Os dados foram comunicados à agência France Press pelo Pe. Vincent Feroldi, director do Serviço Nacional para as Relações com os Muçulmanos da CEF, que destacou que “até 2016, o número desses casos estava sempre abaixo de 200.”

A renúncia do Islão é problemática, pois o Corão condena-a como apostasia intolerável, merecedora da morte aplicável imediatamente e sem julgamento pelo primeiro que o puder fazer.

Muitos pedem que o batismo seja recebido “com certa discrição” e fora das festas da Páscoa para não serem vistos. Por isso o número anual total de batismos de ex-maometanos pode ser bastante superior.

Via ‘Valores inegociáveis: respeito à vida, à família e à religião’


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio, postaram comentários que não cumprem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seguir

  1. Caro Carmadélio, gosto muito das suas pregações, mas devemos nos ocupar com Cristãos
    que não vivem sua fé,que ela seja consistente e verdadeira, que todo Cristão batizado siga firme o Evangelho de Cristo.Quantidade nunca foi sinal de qualidade, por isso é melhor poucos vivendo sua Fé do que muitos enchendo as Igrejas mas de coração vazio de Deus.
    As pessoas de hoje só querem ir a Deus em busca das graças e esquecem de estabelecer com uma relação de Pai e Filho.Falemos de Cristo de forma coerente e concisa para estabelecermos no coração humano o Amor do Pai revelado pelo Seu Filho.

  2. Batismos com “certa discrição” são tão problemáticos quanto a apostasia do Islão, que eu saiba quem negar o Senhor também será negado…