Blog do Carmadélio

A Ideologia do laicismo e a liberdade Religiosa.

O Bispo de Almería,Espanha, Dom Adolfo González, recordou a importância de defender a liberdade religiosa em uma sociedade marcada por uma ideologia laicista que se opõe à vivência da simbologia católica.

Em um artigo publicado na página Web de sua diocese, o Bispo recordou a agressão que no passado padeceu o monumento ao Coração do Jesus, vítima da perseguição religiosa.

“De novo agora se empreendeu uma campanha contra os símbolos religiosos na Espanha.Que sentido pode ter a eliminação de imagens e simbolismos religiosos em uma sociedade que hoje quer ser aberta e plural? A tolerância não se constrói sobre a prévia aniquilação dos sinais da fé, mas sobre sua respeitosa aceitação como expressão das crenças e da fé religiosa que deu vida à história das comunidades dos povos e às nações”, indicou.

Explicou que “os monumentos ao Coração de Cristo e à Virgem Maria, as milhares de cruzes que povoam a geografia espanhola e se alistam junto às catedrais e Igrejas são a expressão de uma trajetória histórica marcada pela fé em Cristo e o amor à divina pessoa do Salvador”.

“Contra a ideologia do laicismo atual, que se opõe tenazmente à vivência da simbologia católica em âmbitos públicos, é preciso reafirmar a liberdade religiosa reconhecendo o que ela significa.

Liberdade religiosa não é só liberdade de crenças e convicções, mas a liberdade de praticar a religião, o que se expressa, certamente, em ritos, mas que inclui ademais e de forma substantiva, para poder manter-se como liberdade de religião, modos e maneiras de conduta pessoal e pública que identifica a uma coletividade religiosa”, assinalou.

Do mesmo modo, esclareceu que “ignorar que as religiões se manifestam em âmbitos geográficos que delimitam a história das nações, para poder afirmar que as ‘crenças e convicções’ têm que contar todas com o mesmo estatuto, é contrário à sociologia e à história dos povos, porque é ignorar deliberadamente o significado histórico e social de cada religião”.

“Isto vai contra a realidade mesma das coisas, enquanto a simbologia presente na geografia e nos espaços públicos responda à implantação objetiva de uma fé religiosa viva. Não significa negar liberdade às demais confissões, nem menos ainda os direitos individuais das pessoas, mas sim tratar cada coisa segundo sua realidade. É preciso tratar do mesmo modo realidades iguais, mas não se pode tratar por igual as realidades desiguais. Isto é pedido pelo sentido da justiça”, adicionou.

***

Já havíamos postado aqui no Blog outras reflexões a esse respeito.

Aparentemente esse assunto parece longe da realidade Brasileira.Talvez ainda não tenhamos chegado ao ponto da nação Espanhola,onde a presença do laicismo agressivo gera esse tipo de perseguição.

No entanto precisamos estar atentos ao que acontece em outros países católicos e aos maleficios que o laicismo (não confundir com laicidade) tem gerado para nos  precavermos de forma democrática, formando opinião e  não aceitando esse tipo de desrespeito, como D  Adolfo expressou de forma magistral no artigo acima.

A Espanha tem sido um dos países do mundo,juntamente com a França, a sofrer esse tipo de perseguição “legal”,já que é tudo baseado em leis locais devidamente aprovadas e -pelo visto-sem a mobilização católica (que  ainda é a maioria da população na Espanha,por exemplo).

Aqui na América do Sul,inclusive no Brasil, já se “ouve” esse tipo de argumentação e em alguns países como Bolivia e Venezuela, a situação tende a se radicalizar.

Nossa resposta a isso deve ser dada através do voto, não elegendo quem não sabe a diferença entre laicidade e laicismo e quem desrespeita a história da formação cultural do nosso pais onde a Igreja e a cultura católica foram fundamentais para o rosto humano de nossa nação.

Infelizmente,os católicos são importantes na hora do voto. Depois são esquecidos e desrespeitados.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *