Blog do Carmadélio

Mãe explica para o filho que não pode salvá-lo – e o que ele responde parte seu coração. ( parte o nosso também)

Uma história de amor profundo e verdadeiro: vale a pena ler até o final! (atenção: imagens fortes)

Dois meses depois que o filho, Nolan, de 4 anos morreu de câncer, Ruth Scully publicou sua história no Facebook e as últimas palavras dele simplesmente a deixaram sem palavras.

Nolan faleceu em fevereiro de 2017, após uma batalha de 15 meses contra a Rabdomiossarcoma (RMS), uma forma rara e agressiva de câncer que ataca o tecido ósseo e que se torna altamente resistente a todas as formas de tratamento.

Na ocasião de sua postagem, em abril de 2017, Ruth quis compartilhar os últimos dias do filho.

“Eu queria há muito tempo escrever sobre os últimos dias de Nolan. Os últimos dias dele brilharam tão incríveis quanto meu filho é. O quão belo ele é. O quanto ele representava o amor verdadeiro. Este relato pode ser longo, mas tenha paciência comigo, é uma agonia diferente de qualquer outra.”

De volta à setembro de 2015, Nolan reclamou de estar com o nariz entupido e seus pais pensaram que fosse apenas um resfriado no início.

Logo, ele teve dificuldade para respirar e as tentativas de tratamento que vieram a seguir não surtiram efeito.

Em novembro, o médico descobriu que um tumor era a causa do bloqueio em suas vias aéreas.

Esse tipo de câncer cresce nos músculos, na gordura e nas articulações.

Os pacientes podem sofrer de pálpebras caídas, dores de cabeça, náuseas, além de dificuldade em urinar.

“No dia 1º de Fevereiro, nós sentamos com toda a equipe. Quando a oncologista dele falou, eu vi dor em seus olhos.

Ela sempre foi honesta conosco e lutou ao nosso lado durante todo aquele tempo, mas a tomografia computadorizada mostrou um enorme tumor que cresceu pressionando os tubos bronquiais e coração dele dentro de quatro semanas de sua operação de peito aberto.

O rabdomiossarcoma metastático alveolar se espalhou como fogo selvagem.

Ela explicou que naquele momento, ela não achava que o câncer dele era tratável já que havia se tornado resistente a todas as opções de tratamentos que nós tentamos e o plano seria mantê-lo confortável enquanto ele ia se deteriorando rapidamente.”

“Depois de um tempo, eu me recompus e fui ao quarto de Nolan. Ele estava sentado na ‘cadeira vermelha da mamãe’, assistindo Youtube em seu tablet.

Eu me sentei com ele e coloquei minha cabeça contra a dele e tivemos a seguinte conversa:

Eu: Dói respirar, não é?
Nolan: Bem… sim.
Eu: Você sente muita dor, não é, bebê?
Nolan: (olhando para baixo) Sim.
Eu: Este câncer é um saco. Você não precisa lutar mais. .
Nolan: (Pura felicidade) Eu não preciso??!! Mas eu vou por você, mamãe!!
Eu: Não, filho! É o que você vem fazendo?? Lutando pela mamãe?
Nolan: Sim!!
Eu: Nolan, qual é o trabalho da mamãe?
Nolan: Me manter seguro! (Com um grande sorriso)
Eu: Querido… Eu não posso mais fazer isso aqui. O único jeito que eu posso manter você seguro é no céu. (Meu coração destruído)
Nolan: Então só vou para o céu e brinco até você chegar lá! Você virá, certo?
Eu: Com certeza!! Você não vai se livrar da mamãe tão fácil!
Nolan: Obrigado, mamãe!!! Eu vou brincar com Hunter, Brylee e Henry!! ”

No dia seguinte, ele estava descansando, assim como dormiu na maior parte dos dias seguintes. Ele tinha todos os cuidados paliativos a postos, seus medicamentos intravenosos e até a ordem de não ressuscitar assinada (eu não consigo explicar como é assinar a ordem de não ressuscitar do seu anjinho). Quando ele acordou, nós tínhamos arrumado tudo e eu tinha os seus sapatos em minhas mãos para que pudéssemos levá-lo para casa à noite. Nós só queríamos mais UMA noite juntos. Mas quando acordou, ele colocou gentilmente a sua mão na minha e disse: ‘Mamãe, está tudo bem. Vamos ficar aqui, ok?’ Meu pequeno herói de 4 anos estava tentando se certificar de que as coisas seriam fáceis para mim…

Lá pelas 21h, eu perguntei a Nolan se poderia entrar no banho, já que eu não podia deixá-lo e a mamãe tinha que ficar tocando nele toda hora. Ele disse: “Humm… tudo bem, mamãe. Diga para o tio Chris se sentar comigo e eu vou me virar para este lado, assim eu posso te ver.’ Eu parei na porta do banheiro, me virei para ele e disse: ‘Continue olhando bem para cá, querido. Eu vou sair em dois segundos.’ Ele sorriu para mim. Eu fechei a porta do banheiro. Eles disseram que, no momento em que tranquei a porta, ele fechou seus olhos e entrou em sono profundo, iniciando o fim de sua passagem para o outro lado. 

Quando eu abri a porta do banheiro, a equipe médica estava em volta de sua cama e todos se viraram e me olharam com lágrimas nos olhos. Eles disseram: ‘Ruth, ele está em sono profundo. Ele não consegue sentir nada.’ Era extremante difícil para ele respirar, seu pulmão direito tinha entrado em colapso e seu oxigênio caiu.

Eu corri, pulei em sua cama e coloquei minha mão no lado direito de seu rosto. Então, um milagre inesquecível aconteceu…

Meu anjo respirou fundo, abriu seus olhos, sorriu para mim e disse: ‘Eu te amo, mamãe.’ Ele virou sua cabeça e, às 23:54, ele faleceu enquanto eu cantava ‘You Are My Sunshine’ em seu ouvido. 

Ele acordou de um coma para dizer que me amava, com um sorriso em seu rosto!”

Na foto, Nolan está deitado no tapete do chão do banheiro, com medo de ficar longe dela, mesmo durante o seu banho.

Essa experiência emocionante tocou os corações de pessoas de todo o mundo. Essa história mostra por que mães chamam seus pequenos de “anjos”. Crianças têm dons escondidos e corações enormes.

Ruth foi tão corajosa em compartilhar esses momentos de sua grande perda de seu lindo garotinho e do amor incrível entre uma mãe e seu filho. 

Nolan chegou a acordar do coma e disse que a amava, mas então ele faleceu no dia 4 de fevereiro, enquanto ela cantava “You are My Sunshine” em seu ouvido.

“Agora eu estou com medo de tomar banho. Com nada além de um tapete vazio agora, onde uma vez um belo e perfeito garoto ficou à espera de sua mamãe”, finalizou ela.

Aleteia

 

 

 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *