Blog do Carmadélio

Você é uma pessoa humilde? Conheça os cinco tipos de ‘falsa humildade’.

Humildade deriva da palavra humus, terra, não só porque é humilde o homem que se reconhece terra, mas também porque a humildade é a terra fértil onde se cultivam as demais virtudes.1

A importância da humildade para avançar na amizade com Deus é expressa em diversos versículos bíblicos e também por muitos santos. Embora saibamos da importância desta virtude humana para avançar na vida espiritual, dificilmente refletimos se estamos trilhando, de fato, um caminho que leva à humildade. Neste texto, mostrarei cinco tipos de falsa humildade para que, a partir delas, possamos meditar se estamos ou não sendo humildes.

No paraíso há alguns que não foram mártires, nem contemplativos, nem virgens, mas não há nenhum que não tenha sido humilde.

Santo Agostinho Roscelli

1- A humildade racionalista

Uma das formas de se alcançar a humildade (humana) é a razão. Basta observar a realidade, analisando o próprio passado, por exemplo, e perceberemos todas as vezes em que erramos, fomos fracos, insuficientes… Embora possa produzir bons frutos, a humildade puramente racionalista não é o bastante pois, por não estar fundada na fé, não consegue compreender a humildade dos santos que se alegraram ante a humilhação para imitar a Nosso Senhor!

2- A humildade encolhida ou pusilânime

Sabe aquela pessoa que se recusa a exercer qualquer tipo de autoridade achando que isso é humildade?  pais que não impõe limites aos filhos para não serem “autoritários”, chefes que não dão ordens e deixam os subalternos à deriva. Estes são exemplos de humildade encolhida. Este tipo de falsa humildade impede, por temos da vaidade, de obrar a virtude e fazer grandes obras e é especialmente prejudicial àqueles que devem exercer alguma autoridade.

3- A humildade puramente exterior

É o tipo de falsa humildade conhecida por farisaísmo, ou de aparência, pois nada tem de interior, de virtuoso.

Poucas almas escapam ao erro de ter por humildade as manifestações puramente externas desta virtude. Jesus corrigia severamente aos fariseus, os quais se acreditavam humildes porque se prostravam nas ruas, sem renunciar à convicção de sua própria superioridade nem ao menosprezo dos demais (…) Dizer que não valemos nada, mostrar-nos corteses com o próximo, adotar na igreja uma atitude arrependida… a isto chamamos humildade 2.

Beaudenom, L.

Este tipo falso virtuoso se ofende muito quando contrariado ou levemente ofendido e fala de si mesmo muitas vezes quando conversa. Um bom exercício aqui é anotar quantas vezes fala de si mesmo nas conversas ao longo do dia e como se sente quando contrariado!

Vejamos como nos esclarece São Francisco de Sales:

Muitas vezes dizemos que não somos nada, que somos a própria miséria e a sucata do mundo, mas nos incomodaria muito que nos tomassem ao pé da letra e se fizesse público o que temos dito (…).

As palavras de autodesprezo, se não saem de um coração cheio de cordialidade e convencido de sua própria miséria, são a flor mais refinada da vaidade, já que é raro que quem as profere nelas crê, ou deseje realmente que que nelas creiam aqueles que a escutam.

São Francisco de Sales

Quantas vezes não falamos mal de nós mesmos apenas para ganhar alguns elogios? É tamanha nossa vaidade que preferimos falar mal de nós mesmos para sermos notados do que ficar em silêncio e sermos esquecidos!

4- A humildade superficial

É aquela que não brota de convicções profundas senão que confunde humildade por “admiração de humildade”. Por notar que os santos desprezavam a si mesmos tenta imitá-lo, mas sem entender a raiz desta virtude acaba sendo algo superficial e, portanto, inconstante.

5- A humildade de ilusão

É comum nos temperamentos com grande imaginação. Geralmente são pessoas que admiram esta virtude, a desejam e a amam, contudo consideram como adquirida uma virtude que só existem em sua imaginação. Vivem um sonho de humildade!

São facilmente acordadas através de uma sacudida causada por uma humilhação real e sensível que os acorda para seu enorme amor próprio!

Você não é tão humilde quanto pensava, não é?

Se chegou ao final deste texto e descobriu que se encaixa em muitos dos perfis de falsos humildes descritos, o objetivo do texto foi alcançado!

A humildade é a base do edifício da santidade pois “Deus resiste aos orgulhosos e dá sua graça aos humildes” (São Tiago. 4:6) portanto trabalhemos arduamente para crescermos em humildade e não desanimemos pois é a batalha de uma vida!


Referências

  1. Fuentes, Ángel Miguel. Naturaleza y Educación de la Humildade. San Rafael: EDIVE, 2011.
  2. Beaudenom, L., Formação na humildade.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *