Um estudo publicado pela revista científica Infant and Child Development indicou que a escolha de brinquedos por meninos e meninas parece depender não apenas de fatores socioculturais, mas também de forças inatas.

Assinado por sete psicólogos britânicos, o artigo analisou 16 estudos realizados com 787 meninos e 813 meninas e constatou que a preferência de meninos por brinquedos voltados a meninos e de meninas por brinquedos voltados a meninas se mantém independentemente de localização geográfica, escolaridade, faixa etária e a presença de adultos durante a brincadeira.

Segundo os autores, a constância da preferência das crianças nas mais variadas circunstâncias indica “a probabilidade de que isso tenha origem biológica”.

O estudo apontou também que os meninos brincam mais com brinquedos de menino à medida que ficam mais velhos, o que não acontece com as meninas. “Isso indica que efeitos sociais estereotípicos permanecem por mais tempo nos meninos ou que há uma predisposição biológica mais forte por certas brincadeiras entre eles”, diz o texto.

Os pesquisadores perceberam também que em estudos mais antigos, tanto meninos quanto meninas brincavam mais com brinquedos voltados para o seu sexo – uma tendência que vem regredindo em estudos mais recentes.