Mulher-MaravilhaSinopse: Antes de ser a Mulher-Maravilha, ela era Diana, princesa das amazonas, treinada para ser uma guerreira invencível. Criada em uma ilha paradisíaca isolada, ela descobre que um enorme conflito assola o mundo exterior quando um piloto americano cai em suas terras. Diana deixa sua casa, convencida de que pode parar a ameaça. Lutando ao lado de homens em uma guerra para acabar com todas as guerras, Diana descobre a dimensão de seus plenos poderes… e seu verdadeiro destino.

Depois dos criticados filmes “Esquadrão suicida” e “Batman vs Superman“, chega para nós o mais novo filme baseado em super-heróis da DC Comics. Chegou e chegou muito bem.

Já fomos apresentados à heroína no filme em que o Batman encara o o herói kryptoniano, mas, neste novo filme, podemos ver a sua origem e a sua descoberta de um mundo muito diferente daquele que conhecia em sua casa, na ilha de Themyscira.

Embora a Mulher-Maravilha tenha a sua origem relacionada com a mitologia grega, bem como o vilão do filme ser o deus grego Ares, podemos perceber com certa clareza como é a atuação do demônio em nossas vidas.

No filme é posto que a ação de Ares junto aos homens é no sentido de induzi-los à guerra, mas a decisão de se cometer o erro é exclusivo deles, em razão de seu livre-arbítrio. Da mesma forma é a atuação do diabo junto aos homens, em que age como que ficasse “sussurrando em nossos ouvidos” para que pequemos.

Isso já foi muito bem colocado por São João Paulo II na Exortação Apostólica Pós-Sinodal Reconciliatio et Paenitentia:

“(…)Deus é fiel ao seu desígnio eterno mesmo quando o homem, induzido pelo Maligno e arrastado pelo seu orgulho, abusa da liberdade que lhe foi dada para amar e procurar generosamente o bem, recusando a obediência ao seu Senhor e Pai; (…)

14. Se lermos a página bíblica da cidade e da torre de Babel à luz da novidade evangélica e a confrontarmos com a outra página da queda dos primeiros pais, podemos tirar daí elementos preciosos para uma tomada de consciência do mistério do pecado. Esta expressão, na qual se repercute o que São Paulo escreve acerca do mistério da iniquidade tem em vista fazer-nos perceber o que se esconde de obscuro e de inexplicável no pecado. Este, sem dúvida, é obra da liberdade do homem; mas por dentro da realidade desta experiência humana agem factores, pelos quais ela se situa para além do humano, na zona limite onde a consciência, a vontade e a sensibilidade do homem estão em contacto com forças obscuras que, segundo São Paulo, agem no mundo até ao ponto de quase o senhorearem.”

A influência do demônio na vida do homem nos leva a um duro combate, como descrito no Catecismo da Igreja Católica:

409. Esta dramática situação do mundo, que “está todo sob o poder do Maligno” (1 Jo 5,19), transforma a vida do homem num combate:

“Um duro combate contra os poderes das trevas atravessa toda a história dos homens. Tendo começado nas origens, há de durar – o Senhor no-lo disse – até ao último dia. Empenhado nesta batalha, o homem vê-se na necessidade de lutar sem descanso para aderir ao bem. Só através de grandes esforços é que, com a graça de Deus, consegue realizar a sua unidade interior.”

Ainda que o demônio persista em sua ação junto ao homem, não devemos nos deixar abater, pois isso não acontece sem a permissão de Deus diante de uma plano divino, como bem nos lembra Santo Agostinho:

Deus onipotente, sendo sumamente bom, não deixaria mal algum em sua obra, se não fosse tão poderoso e bom que pudesse tirar até do mal o bem.

Assim como no filme vemos a Princesa Diana e tantos outros tentando combater o bom combate contra seu inimigo, da mesma forma devemos nós nos vestirmos da armadura de Deus como descrito em Efésios 6, 13-18:

13.Tomai, por tanto, a armadura de Deus, para que possais resistir nos dias maus e manter-vos inabaláveis no cumprimento do vosso dever.
14.Ficai alerta, à cintura cingidos com a verdade, o corpo vestido com a couraça da justiça,
15.e os pés calçados de prontidão para anunciar o Evangelho da paz.
16.Sobretudo, embraçai o escudo da fé, com que possais apagar todos os dardos inflamados do Maligno.
17.Tomai, enfim, o capacete da salvação e a espada do Espírito, isto é, a palavra de Deus.
18.Intensificai as vossas invocações e súplicas. Orai em toda circunstância, pelo Espírito, no qual perseverai em intensa vigília de súplica por todos os cristãos.

CONFERIR2

Ficha técnica:

Gênero: Ação
Direção: Michelle MacLaren
Roteiro: Allan Heinberg, Flor Ferraco
Elenco: Ann Ogbomo, Chris Pine, Connie Nielsen, Eleanor Matsuura, Emily Carey, Eugene Brave Rock, Ewen Bremner, Florence Kasumba, Gal Gadot, Lisa Loven Kongsli, Lucy Davis, Madeleine Vall, Mayling Ng, Robin Wright, Roman Green
Produção: Charles Roven, Deborah Snyder, Zack Snyder
Trilha Sonora: Rupert Gregson-Williams
Duração: 140 min.
Ano: 2017
País: Estados Unidos
Distribuidora: Warner Bros
Estúdio: Atlas Entertainment / Cruel & Unusual Films / DC Entertainment
Classificação: 12 anos

Trailer

KelseyGrammerVencedor do prêmio Emmy como melhor ator, Kelsey Grammer, em uma entrevista à publicação britânica do The Times, fulminou contra o eufemismo de chamar o aborto como “direitos reprodutivos”. Ele classificou isso como “desonesto” e ainda lamentou a prática de matar crianças antes de nascerem por terem sido concebidos num estupro.

É um tanto desonesto chamar algo de ‘direitos reprodutivos’ quando você claramente tem uma escolha bem antes do bebê ser concebido”, disse Grammer.

Ele falou sobre os casos de estupro e disse “se alguém tem que morrer como resultado do estupro, então devemos matar o estuprador – não o feto.”

Conforme Grammer, a “injustiça” é uma das poucas coisas que o deixa louco.

Famoso por seu papel nos seriados Cheers e Frasier do canal NBC, por interpretar o personagem Dr. Hank McCoy/Fera no X-Men 3 – O Confronto Final e por ser a voz  do Sideshow Bob (inimigo do Bart) em Os Simpsons; Grammer participou com a esposa na Marcha pela Vida 2016, em Washington D.C..

Em julho do ano anterior, ele esteve na Convenção Nacional pelo Direito à Vida (National Right to Life Convention) em Nova Orleans. Em outubro de 2015, a esposa de Grammer postou no Instagram uma foto do marido vestindo uma camiseta do grupo Abort73, com a pergunta “Nos incomodaria mais se eles usassem armas?” em alusão à repugnância dos liberais ao uso de armas mas total aceitação do aborto. A camisa foi elogiada por ativistas pró-vida e recebeu extensivo criticismo de ativistas pró-aborto e da mídia liberal.

No passado, Grammer se identificava como pró-aborto, mas ele se converteu à causa pró-vida cerca de seis anos atrás.

Com informações do LifeSiteNews

Tradução e adaptação: Tathiane Locatelli

Não é fácil ser pró-vida em Hollywood, o ambiente é manifestadamente liberal e politicamente correto. Apesar disso, algumas celebridades não se intimidam e se posicionam publicamente contra o aborto. Conheça algumas delas:

jack_nicholsonJack Nicholson

Quando era uma dançarina de bar e com apenas 17 anos, June, mãe de Jack Nicholson, engravidou. Apesar de pressionadas pelos colegas a abortar, ela preferiu dar à luz ao bebê que mais tarde seria o ganhador de três Oscar, incluindo o de melhor ator com os filmes “Um Estranho no Ninho” e “Melhor é Impossível”.

June deixou o menino com seus pais e este cresceu pensando que era filho de seus avós e que a mãe biológica era sua irmã. Foi somente na vida adulta, após a morte de June, que Nicholson descobriu a própria história.

“Vou muito contra o meu círculo em relação ao aborto porque sou positivamente contra. Não tenho direito a nenhum outro ponto de vista. Minha única emoção é gratidão, literalmente, pela minha vida”, disse Nicholson.


jim_caviezelJim Caviezel

Caviezel, famoso por interpretar Jesus em “A Paixão de Cristo”, contou a Catholic Digest que um colega pró-aborto o desafiou dizendo: “Você é pró-vida? Se você realmente acredita no que você diz, adote uma criança – mas não qualquer criança, adote uma que tenha uma séria deficiência física!” Caviezel disse que ficou aterrorizado com a ideia de adotar uma criança com necessidades especiais, mas, no fundo, sabia que Deus queria isso para ele. Então adotou Bo, um menino chinês com um grande tumor cerebral, e mais tarde LeLe, uma menina chinesa também com tumor cerebral. O ator disse que isso não mudou a opinião do colega, mas fortaleceu sua convicção de que toda vida é preciosa.

Caviezel ainda afirmou: “Eu sou a favor de ajudar as mulheres, mas eu não vejo que o aborto as ajuda. Não amo a minha carreira tanto ao ponto de dizer ‘vou ficar calado sobre isso.’ Eu defendo cada bebê que nunca nasceu… Como vamos saber se não matamos a criança que poderia ter criado o exato tipo de medicamento que salvaria outras vidas?!”

Kelsey GrammerKelsey Grammer

O ator Kelsey Grammer, que interpreta o personagem principal do seriado Frasier, nem sempre foi pró-vida. Apesar de no passado se descrever como pró-escolha, o seu posicionamento mudou. Em julho de 2015 o ator compareceu e foi fotografado no evento National Right to Life, em Nova Orleans; e em outubro postou no Instagram de sua esposa uma foto vestindo a camiseta do grupo Abort 73 com a frase: “Te incomodaria mais se eles usassem armas?” em alusão ao tema do aborto e do uso de armas. Além disso, Grammer esteve presente com a esposa na última Marcha pela Vida, em Washington D.C., enfrentando corajosamente o frio e a neve. O casal postou no Instagram fotos no evento e outras fotos feitas pelos fãs circularam pelo Twitter.

Kathy IrelandKathy Ireland

Kathy participou de vários filmes e seriados de televisão, sendo Melrose Place e Cosby os mais populares; porém, foi na carreira de modelo onde ela fez fortuna. Foi capa de revistas como Vogue, Cosmopolitan, Forbes, entre outras.

Kathy se considerava pró-escolha até começar a ler os livros de medicina do marido, um médico de plantões de emergência. As razões científicas que encontrou, a fizeram mudar de opinião. Apesar de orientada a não tornar isso público, quando esteve no programa Politically Incorrect, da HBO,(em que os convidados discutem atualidades), ela argumentou contra o aborto e defendeu o direito à vida do não nascido.

Em uma entrevista à FOX, perguntaram se o posicionamento pró-vida afetou a sua carreira, a beldade respondeu que teve vários shows e eventos cancelados em razão de suas declarações. Entretanto, classificou isso como “absolutamente irrelevante, quando estamos falando de uma vida humana”.

Martin SheenMartin Sheen

O ator Martin Sheen, que tem o nome na Calçada da Fama e é ganhador de vários prêmios, declarou em uma entrevista a RTE que sua esposa foi concebida num estupro e que se a mãe dela tivesse abortado na época ou jogado o bebê no rio Ohio (como chegou a cogitar), sua mulher Janet não existiria hoje. Além disso, Sheen, que é pai de quatro filhos, contou que três de seus netos foram concebidos quando seus filhos não estavam casados. “Eles [os filhos de Sheen] não ficaram felizes no momento, mas depois vieram a amar essas crianças. Nós temos três netos adultos, dois deles já estão casados. Eles são algumas das grandes alegrias das nossas vidas”, afirmou.

Mel GibsonMel Gibson

Em uma entrevista feita no auge de sua fama, Gibson declarou que “nenhum de nós pode decidir quem vem ao mundo e quem não vem. Essa decisão não nos pertence.” Deixando clara a sua posição em relação ao tema.

Em 2004, quando houve uma batalha na Califórnia sobre a Prop 71, que propunha pesquisas com células tronco embrionárias com dinheiro público, Gibson apareceu em um comercial pedindo oposição à medida. “Criar uma vida para simplesmente destruir é errado, particularmente quando existem alternativas efetivas prontamente disponíveis”, disse Gibson, que acrescentou que as pesquisas com células tronco adultas já produziu mais de 140 curas e tratamentos, enquanto as células tronco embrionárias não tratou um único paciente humano sequer.

Shari RigbyShari Rigby

Foi durante as filmagens do filme “Bebê de Outubro” que Shari revelou um segredo há muito tempo escondido: no início de sua carreira, ela engravidou; envergonhada e com medo, decidiu fazer um aborto – situação muito parecida com a da personagem que interpretou. “Muitas vezes, especialmente quando se é uma mulher jovem, carregamos o fardo de que [se engravidamos] seremos vistas como fracassadas, o que é vergonhoso”, disse.

Além de tornar público o próprio aborto, a atriz disse que encontrou cura nas gravações: “Nós entramos em cena e me lembro das câmeras rodando e eu, assim que entrei na sala, só sabia que o Senhor estava comigo e isso era simplesmente a cura completa… que eu não estava atuando, que esse era o meu momento com Deus e d’Ele comigo dizendo: ‘está tudo bem, isso passou, e você está perdoada.’”

Desde então, a atriz tem falado de sua experiência com o aborto e participado de eventos pró-vida.

Patricia HeatonPatricia Heaton

Patricia Heaton, vencedora de dois Emmys e atual protagonista do seriado The Middle, disse ao The Blaze que sua convicção pró-vida e sua fé crista “andam de mãos dadas”, e que depois que se tornou mãe tomou ainda mais paixão pela causa.

“Acho impossível concordar com uma filosofia que acredita que a destruição da vida humana é uma solução legítima para um problema que é majoritariamente social, econômico e psicológico”, disse Heaton. “Na realidade, a maioria das mulheres que ‘escolhem’ o aborto o fazem porque acreditam que não têm nenhuma outra escolha.”

phil-robertsonPhil Robertson

Famoso pelo programa de televisão Duck Dinasty, o patriarca Phil Robertson é um pró-vida assumido. A estrela do reality show declarou que “a multidão do politicamente correto já matou 55 milhões de fetos dentro do útero de suas mães. Assassinato legal, é isso que o aborto é.”

Apesar do incrível sucesso da série (que bateu recordes de audiência), as declarações contra o aborto e o comportamento homossexual despertaram críticas dos ativistas gays e liberais, o que levou à suspensão do programa. Entretanto, a reação massiva dos fãs de Duck Dinasty fez com que a A&E retirasse a suspensão e 9 dias depois, o programa voltou ao ar.

eduardo-verasteguiEduardo Verástegui

Por se recusar a participar de filmes que conflitassem com sua fé católica, disseram ao ator que ele nunca teria trabalho. Então ele decidiu criar a própria companhia e fundou Metanoia Films, e sua primeira produção, Bella, foi um sucesso!

Verastegui também é fundador da Organização Manto de Guadalupe e do Centro Médico Guadalupe, uma clínica pró-vida de atendimento a gestantes em crise, localizada em Los Angeles.

Marvel's "Thor: The Dark World," Marvel's "Captain America: The Winter Soldier" And Marvel's "Guardians Of The Galaxy" Red Carpet - Comic-Con International 2013Sua carreira arranca suspiros e algumas mulheres dizem que ele é ainda mais quente de outras formas; mas se elas querem ver Chris Pratt sem roupa, precisarão de uma máquina do tempo. A imprensa das celebridades noticiou que Pratt não vai mais fazer cenas de amor efervescentes – porque isso viola a sua fé cristã.

A história surgiu com o National Enquirer – não exatamente um expoente da moralidade tradicional – quando um informante contou o furo, “Chris se recusa sequer a considerar qualquer coisa que envolva uma cena de sexo!”

“Não é o tipo de imagem pública que ele quer projetar – e não é algo que ele considera compatível com a sua fé”, a fonte não identificada afirmou.

Se for verdade, essa decisão de procurar ser modesto na tela é a última etapa em sua transformação de seu passado selvagem: A estrela não esconde o passado de drogas, que viveu em uma van e fazia dinheiro extra como stripper na juventude. Mas hoje o herói de “Guardiões da Galáxia” é um benfeitor na vida real que visita crianças no hospital e cita as Sagradas Escrituras no Facebook.

A carreira de Pratt decolou junto com a sua crescente fé religiosa. Ele estava em “Parks and Recreation” e nos filmes “Moneyball” e “Zero Dark Thirty” antes dos megahits “Guardiões da Galáxia” e “Jurassic World.”

Pratt, que tem 36 anos, está casado com a atriz e comediante Anna Farris desde 2009. Sua fé deu uma guinada quando seu filho, Jack, nasceu em agosto de 2009 – prematuro de nove semanas. O menino passou um mês inteiro na UTI Neonatal. Pratt disse mais tarde:

“Rezamos muito. Isso restaurou a minha fé em Deus – não que precisasse ser restaurada, mas isso realmente a redefiniu.”

Portanto, mesmo que as mulheres queiram ver carne, a estrela está determinada em salvar o universo da forma mais casta possível.

O galã de Hollywood descreveu como ele e Farris mantêm o relacionamento vivo em Hollywood.

Chris-Pratt-Anna-Faris“A forma que temos para fazer funcionar é tomando pelo menos um momento todos os dias para estar presente um com o outro”, disse. “Estando ou não no mesmo lugar, no mesmo estado, ou até no mesmo país, nós nos encontramos.”

A notícia da decisão de Pratt da tela veio em razão de rumores de que ele estaria traindo Farris na cena de seu último filme, um remake de “The Magnificent Seven”. “Nós temos um relacionamento incrível”, disse Farris, chamando os rumores de uma “punhalada sem sentido”.

A decisão da Pratt de recusar traquinagens românticas e cenas de nudez pode lhe custar alguns papéis em Hollywood, mas parece que ele descobriu que fazer essas cenas poderia lhe custar algo muito mais importante.

E ele aprendeu isso depois que junto com  sua esposa quase perderam a coisa mais importante da vida deles.

Imagine o que aconteceria se cada estrela seguisse o seu exemplo. O que aconteceria se, de repente, as estrelas aprofundassem o seu relacionamento com Jesus Cristo e se recusassem a estrelar em filmes que minam a fé, a pureza e a vivência de uma vida virtuosa?

Mesmo que filmes românticos estejam fora de jogo, vamos esperar que quando se trate de descartar imoralidades sexuais, Pratt seja verdadeiramente um homem de liderança.

Fonte: LifeSiteNews

Tradução e Adaptação: Tathiane Locatelli

Todos que assistiram o filme A Paixão de Cristo o tem como um referencial sobre as últimas horas de Cristo, e muitos pensaram ser este o filme definitivo para o cristianismo, mas chegam notícias de uma nova produção que pode ser tão grande e importante quanto o filme de Mel Gibson. Leia esta reportagem e pode começar a esperar o filme:

SERÁ “RISEN” O GRANDE FILME SOBRE A RESSURREIÇÃO DE CRISTO, ASSIM COMO O DE GIBSON FOI SOBRE A PAIXÃO?

RisenEm 22 de janeiro de 2016 será a estreia de “Risen” [Ressuscitado]; o filme é precedido por um potente trailer (veja abaixo vídeo) que expõe rapidamente o núcleo da trama.

Clavius ​​é um oficial do exército romano que supervisiona a crucificação de Jesus e ordena a um dos soldados que o perfure com a lança uma vez morto. Em seguida, Pôncio Pilatos o encarrega para vigiar o corpo e, quando se espalha a notícia de que o corpo desapareceu, de encontrá-lo para evitar que haja uma insurreição. Começa então sua busca para saber quem levou o cadáver e como (visto que é isso que ele acredita que aconteceu). Clavius, um cético e acostumado em mil batalhas aos horrores da guerra, terá um companheiro na investigação: Lucius.

A Fidelidade às Escrituras

“Assista ao evento mais importante da história da humanidade através dos olhos de um incrédulo”, “Descubra o maior mistério de todos os tempos”, “Acredite em milagres”, “Acredite na oração”, dizem as mensagens promocionais do filme no Facebook.

Avaliando por elas e por algumas cenas que estão revelando (como a que apresentou o Santo Sudário ou com aquela que termina o trailer), parece ser um filme que reconhece o fato histórico da ressurreição de Cristo fiel ao espírito do relato evangélico (não, obviamente, na trama central ou em seus protagonistas, que é pura ficção).

Os produtores afirmam que, excluindo essas concessões, o script segue “conforme a história nas Escrituras”; e que eles buscarão os formadores de opinião católicos e protestantes para que os respaldem e cheguem a um público mais vasto. Talvez tão vasto quanto o que viu “A Paixão de Cristo” de Mel Gibson, do qual quer ser a continuação.

RisenAtoresBons negócios e o respaldo da grande indústria de Hollywood

Risen” foi dirigido por Kevin Reynolds (Robin Hood em O Príncipe dos Ladrões, Waterworld, O Conde de Monte Cristo). Clavius ​​é Joseph Fiennes (Shakespeare in Love, The Red Baron, Hercules), dá vida a Lucius é o ator Tom Felton (Draco Malfoy em Harry Potter) e Peter Firth (Amizade, Pearl Harbor) faz Pôncio Pilatos.

O papel de Jesus é para Cliff Curtis (Rapa Nui, Dia de Treinamento), embora suas aparições sejam sempre fugazes. “Mas, nas poucas vezes em que você o vê, você percebe que durante todo o filme estava esperando por esse momento”, ​​diz Mickey Liddell, produtor do filme. Liddell tem a sua própria companhia de produção independente e fez uma parceria com a Sony e Tristar para esta aventura, que é a culminação de um projeto que idealizou há dez anos. O roteiro original é de Kevin Reynolds e Paul Aiello sobre em uma história original deste último.

Clavius ​​tem que fazer, portanto, um “trabalho de detetive”, nas palavras de Joseph Fiennes, e acrescenta: “A história é extraordinária e conhecida por todos, porém nos conduz por essa viagem através dos olhos de um incrédulo.”

Será que Clavius deixará de ser um determinado servidor de César quando conclua as suas investigações? Oferecerá “Risen” a essa pergunta uma resposta cristã? Tudo aponta que sim, porém, temos que esperar ainda sete meses para saber com certeza.

Trailer

Fonte: Religión en Libertad

Tradução: Tathiane Locatelli

cff mud premiere 3 260512O ator Matthew McConaughey foi criado como Metodista, mas hoje diz que não está ligado a nenhuma religião em específico, embora deixe claro que é cristão e quando é questionado sobre sua fé: É baseada na fé que Jesus é o filho de Deus, que ele morreu por nossos pecados.

Seu retorno à fé cristão se deu com o nascimentos dos seus 3 filhos com a brasileira Camila Alves, e em tempos em que o casamento tradicional não tem sido levado a sério, serve como um bom exemplo que poderia inspirar tantas outras pessoas famosas. O casamento do ator com a brasileira foi na Igreja Católica.

Um detalhe interessante que podemos citar também é que o ator não é conhecido por defender a união civil homossexual, nem mesmo quando interpretou um personagem homossexual no filme “Clube de compras Dallas”.

Bom, vamos ao posicionamento do ator sobre o casamento.

MATTHEW MCCONAUGHEY TOMA UMA POSIÇÃO CORAJOSA PELO CASAMENTO BÍBLICO

O ator Matthew McConaughey falou em uma recente entrevista com GQ discutindo sua visão sobre o matrimônio. McConaughey é bem conhecido pelo seu charme sulino, formidáveis qualidades de ator e sua recente indicação ao Oscar onde ele agradeceu a Deus e disse que as bênçãos em sua vida vieram de Deus.

O ator e sua família
O ator e sua família

Matthew está casado com sua esposa Camila Alves desde 2012 e eles possuem três filhos juntos – Levi, Vida e Livingston. Pela sua entrevista McConaughey aparentemente não aceitou algumas crenças populares em Hollywood. Ele leva muito a sério a sagrada instituição do matrimônio.

“Nós conversamos sobre espiritualidade. Nós lemos muito e conversamos com muitas pessoas que passaram por divórcios, várias pessoas que vivem felizes em seus casamentos. Nós conversamos com nosso pastor,” ele disse. “No final, nosso entendimento foi, ‘Vamos fazer um trato entre você, eu e Deus’”.

Atualmente é raro encontrar um ator de Hollywood que esteja disposto a falar publicamente sobre o papel vital que Deus e a fé possuem em nossas vidas. Matthew e Camila acreditam que o casamento tradicional vale a pena ser defendido e abertamente compartilham sua visão pró-casamento e sua devoção a Bíblia.

Fonte: ConservativePost

Tradução: Marcos Feijó Felipe

Não custa lembrar o que o ator falou quando ganhou o Oscar, mostrando que a religiosidade faz parte da sua vida. Vamos rezar para que não seja algo passageiro e que seu encontro com Cristo seja definitivo e fortalecido na fé católica em que seu casamento foi celebrado.

MatthewMcConaughey

ChrisPrattO astro de Jurassic World talvez possa correr de dinossauros, mas ele não está correndo da opinião pública.

O treinador e especialista em velociraptores é um cristão sincero, partidário do porte de armas de fogo e não está caçando desculpas por suas convicções políticas e religiosas.

É surpreendente para um ator que está ganhando a vida na quase sempre liberal (entenda-se esquerdopata, N.T.) Hollywood.

Muitos conservadores se escondem no porão e aguardam para expressar suas crenças durante os encontros secretos da “Amigos de Abe”, um grupo político privado fundado há dez anos e que mantém a sua listagem de membros em segredo para evitar perseguições por parte da famosa indústria de apoio esquerdista, conforme informa o New York Times.

Pratt, contudo, é um orgulhoso portador de arma. O ator temente a Deus que não receia em expressar suas convicções políticas e religiosas, e permite que o mundo saiba como ele se sente. Talvez seja por isso que as pessoas o amam tanto.

Quando a esposa de Pratt, a atriz Anna Faris, deu a luz prematuramente ao filho do casal, nascido nove semanas antes do tempo, o médico estava temeroso que o bebê passasse a vida com sequelas.

Chris, Anna e seu filho
Chris, Anna e seu filho

Apesar de a criança ter passado o primeiro mês de vida numa Unidade de Terapia Intensiva, Chris e Anna ficaram ao lado de seu filho e rezaram a Deus para atravessar aquela provação, Pratt falou para a ABC News:

Isso reavivou minha fé em Deus. Não que minha fé precisasse ser restaurada, mas foi redefinida. O bebê era tão lindo para nós; revejo as fotos dele e isso devia ser perturbador para outras pessoas que vinham vê-lo, mas para nós ele era lindo e perfeito.”

O filho de Chris e Anna sobreviveu a seu nascimento prematuro e um belo vídeo disponível no YouTube mostra Pratt ensinado seu filho o Voto de Lealdade (à bandeira americana).

Após estrelar a série “Parks e Recreation”, Pratt arrebentou nas bilheterias com seu desempenho em Guardiães da Galáxia e em “Lego Movie”.

A meta de Pratt é fazer tantos filmes grandes quanto puder antes de, eventualmente, sair de Los Angeles para viver em uma pequena comunidade. Chris falou para “A Tribuna Conservadora”: 

“O cenário é este: minha esposa, meu filho e eu vivendo em algum lugar que não Los Angeles, me preocupando apenas em ser líder escoteiro, beber cerveja nos sábados, ir à Igreja domingo, divertir-me.”.

Talvez esse seja o motivo que levou Pratt a assinar contrato para a sequência de “Jurassic World”, de acordo com a “inquistr”. Com a estreia de “Jurassic World” batendo todos os recordes de venda de ingressos – com 204,6 milhões de dólares nos EUA e 511,8 no resto do mundo em seu primeiro fim de semana – a franquia promete ser um bom pé de meia para Chris e sua família.

Fonte: Inquisitr

Tradução: Paulo Ricardo Costa Pinto

Revisão: Pedro Gontijo Menezes

o-JANE-FONDA-NOT-AFRAID-facebook1-199x300

Tomei conhecimento da notícia de que Jane Fonda e seu irmão, Peter Fonda, são sobreviventes do aborto. Sua mãe, que foi abusada sexualmente por um afinador de piano quando criança e que também foi abusada fisicamente por seus dois maridos, George Brokaw e Henry Fonda; teve nove abortos antes de Jane nascer e, finalmente, tirou a própria vida.

Em um de seus livros e em um evento no mês passado, Jane disse que ao saber dos abusos sexuais que começaram quando sua mãe era apenas uma criança, foi capaz de perdoá-la pelo suicídio que a deixou sem mãe aos 12 anos de idade.

Jane tem menos entendimento do que pensa sobre os nove abortos, exceto para reconhecer o papel que eles desempenharam no ato final de desespero de sua mãe, Francis Fonda.

Talvez seu quase-silêncio sobre os abortos de sua mãe podem ser explicados pelo apoio vocal de Jane Fonda ao aborto ao longo das últimas décadas. Se ela está defendendo o acesso livre e aberto exatamente àquilo que contribuiu para o suicídio de sua mãe, isso é uma clara indicação de que ela está em negação.

Pró-abortistas adoram dizer que não há ligação entre o aborto e o suicídio, e apesar de terem reprimido severamente a pesquisadora Priscilla Coleman quando esta descobriu um vínculo substancial, isso não pode ser escondido para sempre.

Em um estudo de 2010, pesquisadores do Centro Nacional de Informações sobre Biotecnologia – que trabalha lado a lado com os Institutos Nacionais de Saúde – constatou que o aborto foi associado a um aumento da probabilidade de diversos transtornos mentais, incluindo a ansiedade, o abuso de substâncias, o pensamento suicida e a tentativa de suicídio.

Porém, além da ligação entre o aborto e o suicídio, os abortos múltiplos de Francis Fonda têm certamente alimentado os problemas que Jane Fonda passou e tem discutido frequentemente: a baixa auto-estima, a pobre imagem corporal, os distúrbios alimentares e outros problemas.

Dr. Philip Ney, um psiquiatra canadense especialista na síndrome do sobrevivente após o aborto, escreveu que as crianças sobreviventes – incluindo aquelas que sabem intuitivamente que perderam irmãos pelo aborto – podem desenvolver uma mentalidade de “desejados” que faz com que eles se vejam como objetos e não como pessoas. Eles se tornam posses, e, como tal, são esperados para atender as expectativas dos que os rodeiam. Estas crianças estão tentando ser o filho perfeito, a fim de provar o seu valor para os seus pais.

O ativismo pró-aborto de Jane pode ser um resultado direto dos nove abortos de sua mãe e do subsequente suicídio. Pesquisadores do aborto há muito tempo sugerem que a alta taxa de abortos de repetição é um resultado pós-traumático de reencenação, isto é, um mecanismo de enfrentamento inconsciente que leva a pessoa a repetir uma experiência, mesmo que isso seja terrível, como uma maneira de justificá-lo, ou de normalização do ato.

Talvez a forma que Jane tentou para dar sentido ao passado torturado de sua mãe foi tentando normalizá-lo, defendendo o aborto como uma coisa boa, como um direito de que toda mulher esta autorizada.

Reflexões recentes de Jane Fonda, incluindo um blog que ela mantém em seu site, indicam que, conforme envelhece, Jane se torna mais introspectiva. Ela pediu desculpas por seu encontro polêmico com soldados norte-vietnamitas durante a guerra do Vietnã e até defende a abstinência sexual em seu livro “Being a Teen”. Talvez podemos esperar pelo dia em que Jane mudará a sua visão pró-aborto e falará honestamente sobre qual foi a sensação ao saber que ela não era uma de dois filhos, mas uma de 11.

Quando ela estiver pronta para dar esse passo, espero que ela busque por cura e finalmente encontre a paz que tanto buscou.

FonteThe Catholic View for Women

Tradução e Adaptação: Tathiane Locatelli

DavidHenrie
Selfie logo após a Missa das Cinzas, em 18/02/15

Este texto mostra que as boas influências podem evitar que as pessoas caiam nas ciladas da vida… basta querer. E, neste caso, vemos que se trata de um ator que “foge” do estereótipo da “estrela que perde a cabeça com o sucesso”, tanto pela influência dos amigos quanto pela fé.

O ator veio ao Brasil para acompanhar a Jornada Mundial da Juventude e é comum vê-lo em eventos católicos, sendo mais um que não esconde a sua fé mesmo diante de um grande preconceito por parte da indústria de Hollywood, como é o caso do ator mexicano Eduardo Verástegui, a quem o Papa Francisco pediu para “não se esquecer dos jovens“.

A foto ao lado é uma demonstração de que publicamente se expõe, e no seu Facebook podemos conferir outros exemplos disso.

Que outros sigam o mesmo exemplo.

David Henrie, ex-colega de Selena Gomez na Disney, afirma que sua fé católica o salva de cair na loucura de Hollywood.

Por Jessica Martinez, Repórter do CP 

24 de Julho de 2014

Ex-astro do Disney Channel, David Henrie lançou seu filme de curta-metragem “Catch” em junho de 2014.

O ator David Henrie, que estrelou com Selena Gomez na série “Os Feiticeiros de Waverly Place” e em outros shows de televisão, facilmente poderia ter abraçado o conhecido estilo de vida festeiro e descontrolado de Hollywood. No entanto, ele reconhece em sua fé católica a força para sobreviver em Tinseltown com seus valores morais intactos.

Henrie, 25, fez sua estreia como diretor recentemente no curta “Catch“, e admite que não é fácil ser parte do showbiz por causa das tentações constantes.

“Tenho sorte de ter amigos que não estão no show business, que não entram nesse estilo de vida louco que muitas vezes se tem em Hollywood… acho que as pessoas de Hollywood que estão sempre trabalhando na sua arte são mais bem-sucedidas, porque elas não acompanham esse estilo de vida que vem junto”, disse Henrie numa entrevista com Billy Hallowell e Raj Nair publicada no site The Blaze.

Henrie, católico devoto, admite que é muito mais fácil “ir para a farra toda noite e fazer coisas ridículas” e destaca a diferença entre “um cara virtuoso e um cara que só satisfaz suas emoções ou paixões”.

Minhas morais e minha crença são muito importantes para mim e sempre terão impacto nas escolhas que faço“, disse.

Quando era estrela-mirim, Henrie nunca soube como Hollywood seria difícil, especialmente a parte de evitar os aspectos negativos da indústria de entretenimento. Segundo Henrie, foi graças à sua fé, família e amigos que ele manteve os pés no chão, e reconhece a realidade de várias celebridades, que muitas vezes se perdem pelo caminho porque a tentação está em todo lugar.

“Algumas vezes você começa algo com intenções nobres, mas a partir do momento que você passa a ganhá-las, as coisas mudam quando a tentação aparece”, disse Henrie.

Estrelas como ele são raridade em Hollywood, principalmente em uma geração que inclui celebridades como Miley Cyrus e Selena Gomez, que despedaçaram suas personagens Disney para apresentar uma imagem mais provocadora e picante.

Quando os entrevistadores perguntam se Cyrus e Gomez são exemplos da essência do estilo de vida hollywoodiano, Henrie responde que elas vivem suas vidas sem se preocupar com o fato de que outras pessoas as veem como exemplos.

“Não sei dizer o que elas pensam disso ou como se sentem, mas, na minha experiência pessoal, eu não pedi às pessoas que me vissem como exemplo ou que eu tivesse um público quando comecei a atuar. Eu só queria ser ator. Muitos atores dizem: ‘Não pedi este peso nos ombros, não pedi para ser um modelo a se seguir, então vou fazer tudo o que eu quiser’ “, disse Henrie.

Fonte: The Christian Post.

Trad. e Adapt.: Pedro Gontijo.

Pedro-Sarubbi

Pedro Sarubbi é um homem apaixonado e não tinha medo dos desafios da atuação. Quando ainda adolescente, fugiu de casa e se juntou a uma companhia circense. Assim, seguiu em turnê pelo mundo, acreditando – diz ele – que “em algum lugar poderia preencher aquele vazio espiritual” que o afligia.

Ele tentou, ao entrar no mosteiro de Shaolin na província de Henan (China) para treinar as artes marciais. Mas não estava lá o que procurava. Em seguida, foi para o Tibete, agarrando-se a um voto auto-imposto de silêncio, por seis meses, para alcançar o anelo budista da iluminação. Porém, apesar dos esforços, sua angústia existencial continuava inabalável.

Praticou meditação na Índia e, quase à beira da exaustão, mais tarde permaneceu na Amazônia brasileira, onde aprendeu a falar Português. Em paralelo, entre viagens, ele continuou sua carreira de ator.

Ele tinha 18 anos quando começou a trabalhar no teatro, comerciais e cinema italiano independente. Especializou-se em comédia, mas sempre sentia uma ligeira sensação de fracasso, porque o seu desejo era de dirigir. “Eu me sentia um tigre de Bengala em uma jaula de circo preparado para o show”, diz ele. Hollywood lhe pareceu sorrir quando o chamou para um papel coadjuvante no filme “O Capitão Corelli” (2001), mas o seu momento de glória não apareceu e nem o vazio existencial o deixou. 

Identificando-se com Barrabás

Meses depois desse filme, o ator conta que “um dia o telefone tocou com a oferta de colaborar em um filme de Mel Gibson. Nos filmes anteriores sempre tinha desempenhado papeis mais obscuros, então pensei que este seria um outro filme de ação”. Mas o filme narraria a paixão, morte e ressurreição de Jesus. Ficou surpreso. “Nunca imaginei que poderia atuar em um filme sobre a Paixão de Cristo, mesmo porque estava muito longe da Igreja”, lembra ele.

Ele queria encarnar o apóstolo Pedro e não escondeu sua decepção quando Mel Gibson disse que o procurava para interpretar Barrabás. “Na verdade queria atuar como o apóstolo Pedro, não por uma razão espiritual, mas porque pagavam melhor por dia trabalhado e Barrabás aparecia pouco tempo. Então argumentei que eu era uma pessoa famosa e eles não podiam me dar um papel pequeno.” Mas ao final terminou como Barrabás e algo mais aconteceria durante as filmagens, breve, mas crucial para o resto de sua vida.

Poucos dias antes de sua atuação, o ator destaca que teve uma conversa com Mel Gibson, que queria lhe dar mais detalhes sobre o personagem: que Barrabás não era simplesmente um bandido, que pertencia à casta dos “Zelotes”. E acrescentou um detalhe que penetrou profundamente Sarubbi: Barrabás esteve preso por anos, foi torturado e levado ao limite “começou a tornar-se uma besta, que não tem mais palavras. Ele expressa com seus olhos. Por isso eu escolhi você… depois de investigar, você parece encarnar bem esse animal selvagem e, ao mesmo tempo, refugiar no fundo do coração o olhar de um homem bom”, disse Gibson.

O Olhar de Jesus

Poucos dias depois, Sarubbi estava no set, e durante alguns minutos, permaneceu absorvido ao ver o seu colega Jim Caviezel, que interpretou Jesus. Dentre uns poucos minutos iriam gravar a cena em que o povo perdoou a Barrabás e condenou o Messias… e, de repente, Pedro Sarubbi e Barrabás, na alma do ator, eram apenas um. A cena avançava e ele já não mais atuava: vivia, vibrava os acontecimentos em todo seu ser. Por fim, os gritos da multidão tinham alcançado o seu desejo, ele, Barrabás, estava livre! Ele desceu os degraus e seus olhos se encontraram com a ternura infinita dos olhos de Jesus… “Foi um grande impacto. Senti como se corresse uma corrente elétrica entre nós. Eu vi o próprio Jesus“.

A partir desse momento, o ator italiano diz que tudo em sua vida mudou. Que a paz que, durante anos tinha procurado em dezenas de viagens, havia visitado sua alma. “Ao olhar para mim, seus olhos não tinham ódio nem ressentimento contra mim, apenas misericórdia e amor.”

Esta conversão explosiva de Pedro Sarubbi, que conta em seu livro “Da Barabba para Gesù – Convertito dá um sguardo” (De Barrabás a Jesus – Convertido por um olhar), deu início a uma fase da vida em que o dom da fé toca todo o âmbito de sua vida. No final, com uma exegese pessoal da história bíblica, mostra sua gratidão ao personagem Barrabás que, inicialmente, resistiu em encenar: “É o homem que Jesus salvou de ser crucificado. É ele que representa toda a humanidade”.

Trad. Adapt.: Tathiane Locatelli

Fonte: Catholic.net

Veja este especial em dois vídeos em que o ator dá o seu testemunho

Eduardo_Verastegui_EWTN_US_Catholic_News_1_27_12Na conclusão de uma audiência concedida no dia 11 de Abril de 2013, pelo Papa Francisco à ‘The Papal Foundation‘, o ator mexicano Eduardo Verastegui recebeu um pedido especial do pontífice para se concentrar na juventude.

Quando ele estava prestes a sair da Sala Clementina, onde a audiência papal havia ocorrido, o Papa Francisco se afastou de sua comitiva e se aproximou de Verastegui, dizendo-lhe: “Não se esqueça dos jovens!”

Em entrevista à EWTN Notícias, Verastegui reconheceu que estas palavras o tocaram.

“Faço muitas viagens ao redor do mundo e eu, frequentemente, vou às faculdades e institutos para dar meu testemunho. Vinha pensando em fazer uma pausa para me dedicar mais ao cinema e focar o apostolado mais nessa direção”, disse ele. “Eu já tinha tomado essa decisão mas, de repente, ouvir esse apelo do Papa gerou um grande impacto em mim”.

O ator disse que o encontro com o Papa Francisco foi “incrível”, porque ele pôde falar com o Santo Padre em sua língua materna.

“Nós nos sentimos firmemente ligados um ao outro, desde o início”, disse Verastegui. “Eu queria dizer um milhão de coisas para ele, mas não havia tempo suficiente. Pedi-lhe que rezasse por nós e pelo nosso apostolado de fazer filmes para curar os corações”.

Ele perguntou ao Santo Padre se ele poderia quebrar o protocolo e dar-lhe um abraço.

“Ele me disse: “Claro!” Eu o abracei e ele me deu alguns tapinhas nas costas e sussurrou: “Ore por mim!” e me deu sua bênção. Foi um momento muito mágico para mim”.

Eduardo e Papa Francisco

O ator mexicano passou quatro dias em Roma, mas disse que o encontro com o Papa Francisco foi o momento mais especial da viagem.

“Seu exemplo nos arrasta e um exemplo fala mais que mil palavras. Cada ação sua traz uma mensagem, e você pode sentir o legado do desapego das coisas materiais. Vemos as coisas materiais como um fim para ajudar os necessitados e, a maneira como ele lida com as coisas, com simplicidade e humildade, toca as pessoas e mexe com a suas consciências, ao mesmo tempo em que leva a pensar no que é realmente importante”.

“Às vezes o mundo o engole e ver, de repente, um exemplo tão fresco e livre faz com que você fique na vontade de Deus, unido a Cristo, em todos os momentos”, disse o ator.

Verastegui disse que admira o Papa por ter escolhido o nome de Francisco, pois “ao seguir o legado de São Francisco de Assis, torna-se também uma espécie de revolucionário dos dias atuais, numa uma sociedade que é tão materialista, consumista e superficial”.

O ator mexicano disse que os jovens precisam aprender o que é a essência de ser cristão, que “é lutar até a morte, pois, a cada dia, precisamos levar ordem ao que está desordenado, purificar o que é impuro em nossos corações e deixar que Deus cure todas as feridas e as impurezas que temos”.

Verastegui está na Europa promovendo seu mais recente filme, “Cristiada“. Seu filme anterior, “Bella“, foi muito bem aceito e ele está, atualmente, trabalhando em um novo filme intitulado “Little Boy“.

Nos últimos sete anos, o ator é membro da “Papal Foundation” que auxilia o Santo Padre em projetos que ele considera necessários, tais como a criação de seminários, de escolas, ou de esforços dedicados à nova evangelização e ao serviço para com os mais necessitados.

A “Papal Foundation” se reúne anualmente em Roma para renovar a sua fidelidade ao Papa e no ano de 2013 destinou U$ 8.600 para vários projetos.
*******
Fonte: EWTN Notícias.

Trad.: Elena Arreguy Sala.
Adapt.: Cleiton Robsonn.

Antonio Banderas recebe as boas vindas, como astro que é, ao retornar para Espanha para acompanhar a tradicional Semana Santa celebrada em Malaga.

O astro espanhol Antonio Banderas retornou para sua cidade natal para celebrar a Semana Santa e se juntar às procissões Católicas de preparação para a Páscoa.

O ator de Hollywood vive atualmente em Los Angeles mas tenta voltar para seu lar em Malaga todo ano para a mais importante festa do calendário Católico. Banderas gosta de retornar para sua fraternidade ‘Tears and Favours’ para participar das tradicionais procissões que acontecem em todas as cidades e vilas Espanholas, que marcam a Semana Santa.

Ele foi fotografado tirando fotos com seus colegas penitentes antes do início da procissão do Domingo de Ramos, de Nossa Senhora das Lágrimas e de Favores, em Malaga.

A assombrosa procissão ocorre toda Páscoa na Espanha, com penitentes vestindo túnicas e chapéus cônicos – uma tradição criada para manter o anonimato – enquanto carregam efígies em tamanho real de Jesus Cristo e da Virgem Maria pelas ruas da cidade, acompanhados de batidas de tambores dramáticos e músicas melancólicas.

Por mais que Malaga seja uma cidade popular para ver as procissões – particularmente, pela presença do astro – de longe a mais visitada cidade para as celebrações católicas é Sevilha, em Andalucia, onde o centro medieval fica lotado de fiéis penitentes de diferentes congregações da Igreja. Turistas lotam as ruas, enquanto procissões programadas tecem seu caminho pela cidade desde o amanhecer até a madrugada.

Cada fraternidade é representada por diferentes cores de túnicas e as máscaras eram e ainda são, historicamente, para garantir o anonimato para aqueles que buscam pagar suas penitências.

Apesar das altas temperaturas – principalmente ao sul da Espanha – os fiéis lutam sob seus pesados trajes, balançando-os enquanto carregam enormes andores entre eles e algumas vezes até mesmo caminhando descalços.

Existem mais de 50 fraternidades religiosas em Sevilha, algumas fundadas muito antes do século XIII e cada procissão carrega uma estátua de Cristo, retratando diversas cenas bíblicas. A Virgem Maria é também sempre retratada de luto por seu Filho.

Enquanto algumas procissões são um tanto ruidosas, com bandas acompanhando os penitentes, uma das mais famosas é El Silencio, que é conduzida sem absolutamente nenhum acompanhamento musical.

Mais de um milhão de visitantes vão para Sevilha durante a Semana Santa, juntar-se às programações das mais variadas procissões e segui-las pela cidade.

Por mais que Sevilha seja o mais famoso local para se visitar na Espanha, é seguido de perto por Malaga e Toledo. Na América Latina, onde as procissões também são uma importante festa no calendário, a mais famosa cidade para testemunhar as coloridas procissões é Antigua, uma cidade colonial próxima à capital da Guatemala.

banderas1 

Calorosa recepção: Antonio Banderas retorna para sua cidade natal Magela para participar das celebrações Semana Santa.

banderas2

Velhos amigos: O ator se reencontra com os companheiros de sua congregação Santa Maria das Lágrimas e Favores

banderas3

Mantendo a fé: O astro espanhol se junta à sua congregação para carregar uma enorme estátua da Virgem Maria, decorada com velas, pelas ruas de Andalucia

banderas4

Fervor religioso: Penitentes da fraternidade de São Gonzalo participam da procissão de semana Santa em Andalucia, capital de Sevilha.

banderas5

Pagando penitência: A fraternidade de São Gonzalo marcha pela noite, suas velas vermelhas deixam suas vestes marcadas de cera.

banderas6

Marchando: Penitentes carregam um enorme andor com a Virgem Maria como parte da procissão pelas ruas de Sevilha.

banderas7

Todo o país:  Enquanto Sevilha tem as mais famosas procissões de Semana Santa, vilas e cidades por toda Espanha têm seus próprios eventos

banderas8

Eventos cotidianos: Crianças brincam ao fundo, enquanto penitentes seguem sua marcha, com Jesus em sua terceira queda, durante uma procissão em Zamora, Espanha

banderas9

Espetacular: Uma mulher e um garoto olham pela janela enquanto um penitente da fraternidade de São Gonzalo passam andando durante a Semana Santa em Sevilha

banderas10

Para todas as idades: Uma jovem penitente da fraternidade de São Gonzalo abraça sua amiga enquanto aguardam a procissão em um mercado

banderas11

Tradição: A procissão e os eventos da Semana Santa podem atrair muitos turistas de todo o mundo mas, na verdade, continuam sendo de uma grande importância para a vida dos moradores de Sevilha

banderas12

O espírito do Festival: Pessoas apreciam tapas e bebidas fora de um bar, enquanto penitentes da fraternidade de São Gonzalo andam para a igreja para iniciar a procissão.

Fonte: Mail Online


RussellPois é meus caros, com a obstinação do General Máximus Décimus Meridius (seu personagem em Gladiador), o ator Russell Crowe foi ao Vaticano e conseguiu uma breve audiência com o Papa Francisco. O encontro aconteceu durante a audiência geral semanal do pontífice na quarta-feira (19/03) de manhã na Praça de São Pedro.

O encontro ocorreu após o ator ter feito pressão via twitter (leia mais AQUI) e  ter um encontro marcado mas logo depois cancelado. 

Usando de uma tática de guerra de se fazer pressão, Crowe, juntamente com o diretor Darren Aronofsky e alguns funcionários do estúdio, que estavam na seção apenas para convidados da Praça de São Pedro na quarta-feira, e após se encontram com o papa brevemente e receberam uma bênção.

Sobre o encontro, o diretor Aronofsky disse em um comunicado: “Os comentários do Papa Francisco sobre administração e nossa responsabilidade para com o mundo natural são inspiradores e de extrema importância. Quanto a oportunidade de ouvi-lo falar em pessoa, no dia do aniversário de seu primeiro ano de mandato, eu não podia perder a chance de ouvir e aprender.”

O filme atraiu alguma controvérsia devido a sua interpretação de Noé, uma figura na literatura religiosa que faz aparição tanto na Bíblia quanto no Alcorão. Também atraiu críticas de grupos religiosos sobre imprecisões percebidas na forma como ele conta a história icônica da Arca de Noé.

Ele também não agradou às penas de censura de filmes em alguns países muçulmanos, como o Qatar, Bahrein e Emirados Árabes Unidos, porque ele mostra Noé, que é considerado um profeta na teologia islâmica. Na cultura islâmica, é proibido retratar figuras do alto escalão religioso, como os profetas.

Enquanto aguardava a chance de se encontrar com o Papa Francisco, o ator publicou o seguinte tweet:

Russel-Tweet

“Que privilégio, participar de uma Audiência com o Santo Padre @Pontifex dia de São José e Dia dos Pais”

Após o encontro, também pelo twitter o ator se manifestou:

Russel-Tweet2

“Tchau Roma, meu amor por sua luz eterna somente cresce profundamente. Obrigado Santo Padre @Pontifex pela benção”

Podemos dizer que o General Máximus Crowe veio, viu e venceu? Acreditamos que não, pois o porta-voz do Vaticano, o Padre Federico Lombardi, disse que o Papa Francisco não iria assistir ao filme (porque não tem o costume) e após o encontro autoridades do Vaticano deixaram claro que não se trata de um endosso à obra.

Veja o Trailer diretamente do Canal do Projeções de Fé no Youtube

Confira também a nossa análise prévia sobre este filme – Noé … o que esperar?

Noé-Russell

“Poderoso, fascinante e ressonante”. Assim Russell Crowe descreve o filme Noé (Noah) no convite que publicou na rede social twitter ao Papa Francisco para que assista ao filme sobre o relato bíblico do dilúvio universal no qual o ator é o protagonista.

“Querido Santo Padre, gostaria de ver o filme (Noé)? A mensagem do filme é poderosa, fascinante e ressonante”, diz Crowe em seu tweet no qual inclui menções às contas do Papa Francisco em inglês e italiano e também à do diretor do filme, Darren Aronofsky.

Noé estreará no próximo dia 4 de abril nos cinemas espanhóis e em março em diversos países da América Latina. O filme está protagonizado por Russell Crowe, que dá vida ao homem eleito por Deus para construir a arca ante o iminente dilúvio.

O elenco da superprodução de Aronofsky se completa com nomes de peso como o de Jennifer Connelly (Uma mente brilhante) que interpreta a sua esposa Naamá, Anthony Hopkins (Thor, O silêncio dos inocentes) no papel de Matusalém e Emma Watson (Harry Potter) dando vida a uma jovem que tem uma relação próxima com Shem, um dos filhos de Noé.

Douglas Booth (LOL, Romeo and Juliet) dará vida ao personagem deste filho apaixonado por Noé, enquanto que Logan Lerman (Percy Jackson e o ladrão de raios, Os três mosqueteiros) dará vida ao outro filho de Noé, Ham. O vilão do filme será interpretado por Ray Winstone (Infiltrados, London Boulevard).

Fonte: ACI Digital

Veja o Trailer diretamente do Canal do Projeções de Fé no Youtube

Confira também a nossa análise prévia sobre este filme – Noé … o que esperar?

O texto abaixo mostra que algumas personalidades do show business tem raízes católicas, e de uma forma ou de outra isso influencia em suas vidas e carreiras. É importante destacar que a imensa maioria dos artistas se colocam como budistas, agnósticos ou ateus, e poucos afirmam serem cristãos ou seguir uma igreja específica. Este texto tem como objetivo mostrar aqueles que declaram ter alguma relação com a Igreja Católica, ainda que alguns de seus atos possam dizer o contrário. Confiram:

Mark_WahlbergPara quem cresceu durante a década de 1980 e início de 1990, é impossível olhar para o ator indicado ao Oscar Mark Wahlberg e não pensar “Marky Mark.” Tem sido uma longa e estranha viagem para Wahlberg, que estava envolvido em drogas e violência na adolescência, tornou-se uma sensação de rap e, em seguida, estranhamente, um dos atores mais populares de Hollywood.

Ele também é um católico devoto com uma família que ama, de acordo com esta entrevista em vídeo com a CBS. Nessa entrevista ele fala que sempre leva consigo um dicionário, e que ele sabe o que a palavra significa “consubstancial”.

É interessante ver um ator casualmente partilhar o seu conhecimento e experiência católica durante uma entrevista nacional. Em entrevista ao The Catholic Herald, em 2010, Wahlberg ofereceu esta visão interessante sobre sua vida:

Ser católico é o aspecto mais importante da minha vida“, me disse o ator com firmeza quando nos encontrarmos para tomar chá em um hotel de luxo perto de sua casa em Beverly Hills. “A primeira coisa que eu faço quando começo o meu dia, é ficar de mãos postas e de joelhos e dar graças a Deus. Sempre que saio da minha casa, a primeira coisa que faço é parar na igreja. As crianças ficam bravas comigo. ‘Papai! Demora muito tempo! ‘ Eu digo: “São apenas 10 minutos e isso é algo que eu realmente preciso fazer.” Porque eu faço. Se eu posso começar o meu dia por dizer minhas orações e ficar focado, então eu sei que estou fazendo a coisa certa. Que 10 minutos me ajudam em todos os sentidos durante todo o dia.”

Fonte: The Welcome Matt

Steve-CarellSteve Carell nasceu em Concord, Massachusetts e cresceu em Acton, Massachusetts. Foi criado como católico e ele é frequentemente citado ainda como devoto até hoje.

Quando se trata de falar sobre os seus pontos de vista religiosos, Carell reconhece seu catolicismo e rapidamente fala sobre o tema. Quando perguntado se ele optou por motivos religiosos por viver o famoso personagem bíblico Noé, no filme A Volta do Todo Poderoso, Carell respondeu:

Eu sou católico, nascido e criado. É interessante, porque isso realmente não entra em jogo quando se faz o filme. Eu não decidir fazê-lo porque eu sou católico, eu apenas pensei que tinha uma bela mensagem. E eu não vejo isso como um filme religioso, é um filme sobre a bondade e estar ciente da terra e do meio ambiente.

Claramente a religião desempenha um papel muito pequeno na sua vida pública e profissional. Mas Carell é uma pessoa tão humilde e respeitosa que exigiu que ele respondesse a pergunta direta sobre suas crenças, mas ele é sempre rápido a reconhecer a possível validade de outros sistemas de crenças. Ele disse uma vez:

Espero que Deus me dê orientação e que ele me orienta a fazer boas escolhas, e que ele me ajuda com a minha família. Mas isso é uma coisa tão pessoal e eu acho que todo mundo tem uma ideia diferente do que é Deus e o que ele representa.

Fonte: The Hollowverse

Jessica_AlbaA sex symbol de Hollywood, Jessica Alba, “nunca” vai ficar nua para um filme, porque suas raízes católicas a impedem. Alba acredita que é importante respeitar as rígidas crenças religiosas, mesmo que isso signifique perder em papéis em filmes de grande sucesso.

A atriz diz:

“Eu nunca vou fazer uma cena de nudez em um filme – nunca. Posso agir sexy e posso vestir roupas sexy, mas eu não posso ir à nudez. Acho que sempre foi muito desconfortável sobre a maneira como meu corpo se desenvolveu. Eu venho de uma família católica e isso não era visto como bom, expor a si mesmo. Eu posso lidar com ser sexy com roupas, mas não sem elas. “

Fonte: Cinema Blend

selena-gomezSelena Gomez nasceu e foi criada no Texas, uma verdadeira beleza do sul. Seu pai é mexicano e sua mãe é de herança italiana – ambas as nacionalidades tradicionalmente católicas, embora ela parece identificar-se mais com as suas raízes latino-americanos. Acredita que ser latino-americano nos Estados Unidos é um pouco mais rentável. Ela disse:

Sou mexicana, então é uma coisa impressionante que o meu show é o primeiro show latino [da Disney] que já teve.

Ela falou brevemente sobre sua educação religiosa, dizendo:

Minha família tem Quincenaras, e vamos para a comunhão na igreja. Nós fazemos tudo o que é católico, mas nós realmente não temos nada tradicional, exceto ir ao parque e ter churrascos aos domingos, depois da missa.

Há mais uma coisa. Gomez tem usado e falado sobre um anel de compromisso. Usar este tipo de anel significa que ela prometeu não fazer sexo até que ela seja casada.

Eu disse: ‘Pai, eu quero um anel de compromisso’. Ele foi até a igreja e pediu para que fosse abençoado. Na verdade, uso como um exemplo para outras crianças. Eu vou manter minha promessa a mim mesmo, à minha família e a Deus.

Fonte: The Hollowverse 

josh-duhamelJosh Duhamel nasceu e cresceu em Minot, Dakota do Norte. Ele é católico.

Ele certamente não é o tipo de louvar publicamente a Deus Todo-Poderoso ou de dar crédito por seu sucesso no mundo do entretenimento. No entanto, ele não é avesso a mencionar a sua fé durante as entrevistas, principalmente em relação a sua esposa, a cantora pop Fergie, que também é católica. Ele disse:

Nós dois somos católicos. Havia um monte de coisas que eram realmente compatíveis entre nós. Mas no final das contas, ela é apenas uma garota incrível.

Os dois se casaram em uma cerimônia católica, dois vão à igreja aos domingos, quando eles não estão ocupados demais trabalhando e ele falou de querer levantar uma clássica grande ninhada Católica com sua esposa, dizendo:

Nós dois somos de famílias católicas que gostamos de procriar!

Fonte: The Hollowverse

Muitos desses exemplos não são comentados ou explorados pela grande mídia, mas o PdF está de olho para trazer estas informações para vocês. Esperamos que gostem. ·

PierceBrosnanPierce Brosnan admite que ele não poderia ter aprendido tudo o que precisava saber sobre a matemática dos Christian Brothers na Irlanda, mas os professores transmitiram uma coisa que ficou com ele até hoje – a sua fé católica.

Em uma nova entrevista interessante com RTE.ie para promover o seu patrocínio da nova academia de arte dramática The Irish Lir, que vai estrear esta queda no Trinity College, em Dublin, Brosnan credita o poder da oração com guiá-lo através de altos e baixos da vida.

(Oração) me ajudou com a perda da minha esposa para o câncer e com uma criança que tinha caído em tempos difíceis. Agora oração ajuda-me a ser um pai, ser um ator e ser um homem “, Brosnan disse ao site Irish .

“Ele sempre ajuda a ter um pouco de oração em seu bolso traseiro. No final do dia, você tem que ter alguma coisa e para mim isso é Deus, Jesus, minha educação católica, minha fé.”

Brosnan e Cassandra Harris
Brosnan e Cassandra Harris

A primeira esposa de Pierce, Cassandra Harris, morreu de câncer de ovário há 20 anos. O filho que tiveram juntos, Sean, estava em um sério acidente de carro há alguns anos na Califórnia, mas felizmente ele sobreviveu e está prosperando novamente.

Brosnan e sua mãe deixou sua cidade natal de Navan, Co. Meath, em 1964, quando ele tinha 12 anos de idade, para pastos mais verdes em Londres. Seu pai deixou a família quando ele tinha apenas dois anos, então os tempos eram difíceis.

“De certa forma (a minha vida), tudo leva de volta a um menino em Navan, minha cidade natal, nas margens do Boyne. Às vezes, ele foi pintado em tons melodramáticos, mas foi uma maneira fantástica de ser levantada. O catolicismo e os Christian Brothers, essas são imagens profundas e as bases para uma pessoa de alguma habilidade agir “, diz ele.

“Deus tem sido bom para mim. Minha fé tem sido bom para mim nos momentos de profundo sofrimento, dúvida e medo. Isso é uma constante, a linguagem da oração … talvez eu não tenho minhas somas desde o Christian Brothers ou talvez Não tenho o maior aprendizado da literatura a partir deles, mas eu, certamente, tem uma quantidade de cintas de fé “. ·

Fonte: Irish Central

Conheça mais sobre a Congregação Christian Brothers

JennaPreyslerEm 2010, a revista Maxim a catalogou como uma das atrizes pornôs mais importantes do ano. E, efetivamente, Brittini -ou Jenna Preysler, como se fazia chamar profissionalmente- parecia ter tudo e gozar de muita popularidade no triste mundo do cinema para adultos. Mas o que quase ninguém imaginava era que justamente nesse ano, Brittini começou a dar uma mudança radical em sua vida; um giro inesperado que a conduziu à fé de seus avós e a uma vida autenticamente feliz.

O início de uma carreira de sucesso

Os primeiros passos na indústria pornográfica se deram em épocas muito precoces de sua vida. Concretamente, aos 18 anos, quando frequentava o Santa Barbara City College na Califórnia. Já antes tinha começado a frequentar os clubes de strippers.

E talvez por isso, quando dois homens se aproximaram e lhe perguntaram se queria trabalhar em “filmes românticos”, lhe pareceu algo não só lógico, mas necessário. Filmou seu primeiro filme pornô em Los Angeles nesse mesmo fim de semana.

«Senti-me muito amada nesse dia -comenta Brittini-. Arrumaram meu cabelo, me maquilaram, disseram que era bela e que seria uma estrela». E tudo isto contrastava com o que tinha vivido em casa até o momento: uma mãe muito agressiva verbalmente e um pai passivo. “A agência enviou minhas fotografias para uma agência de adultos… e o resto é história”.

JennaOs produtores a animaram a trabalhar duro na primeira fase de sua carreira, dada sua aparência fresca e juvenil, que a fazia parecer muito mais jovem do que realmente era. A faziam vestir-se com coletes e vestidos de colegial. No fundo, tudo isto a desgostava, mas não a impedia de trabalhar mais de 60 dias seguidos, sem descanso, gravando até duas ou três cenas diárias: “Não sabia como dizer não”.

Lançada à fama

E foi então quando o sucesso chegou a sua porta. Em 2006 ganhou o segundo lugar no concurso Jenna´s American Sex Star, conduzido pela célebre atriz pornô Jenna Jameson e isso a lançou na fama. Rodou centenas de filmes -segundo suas palavras- e ganhou vários prêmios na indústria.

Não obstante, logo as consequências saíram a flutuar. Começou a se notar cansada, como se estivesse drenada por dentro: “Era como um robô ou como uma boneca Barbie de borracha. Não tinha sentimentos”, relata Brittini. Debaixo da segura atriz pornô, atrás dessa cara de diabinha, acontecia uma batalha em busca de uma paz interior que lhe carcomia a alma.

Refugiou-se no álcool e nas drogas

Sua jornada começou. Primeiro se refugiou no álcool e as drogas -cocaína e heroína- para “adormecer minha dor, para poder sobreviver”. Como isto não deu resultado, passou a métodos mais severos: fazia cortes no corpo e inclusive tentou se suicidar várias vezes.

“Passei muitas noites solitárias enquanto cortava os pulsos. Gastava todo meu pagamento em drogas”, comenta uma emocionada Brittini.

Já me cansei disto. Vem me buscar

E no meio desta espiral de auto-destruição, Jenna Preysler começou a se recordar da Brittini que foi e de sua família. Concretamente, recordou seus avós. Cansada de provar de tudo, chamou desesperada a sua avó pedindo ajuda: “Eu necessito de ti, avozinha. Já me cansei disto. Vem me buscar”. E voltou para casa.

Durante sua estadia com seus avós, começou a frequentar a igreja e ler a Bíblia. Devorou o livro do Gênesis. Inclusive se animou a ter algum compromisso com um jovem que conheceu na igreja.

Porém a Brittini que começava a sair a flutuar não queria deixar para trás de tudo a Jenna Preysler do cine pornô. Após um triste incidente em que seu noivo foi assassinado diante dela, sua crescente fé voltou a naufragar. Fugiu.

“Comecei de novo a tomar drogas e vieram uma vez mais as tentativas de suicídio”. Cansada, decidiu bater a porta uma vez mais e começou a sair com um amigo de seu defunto noivo. Tristemente, o jovem era um lobo em pele de ovelha. A princípio, a convidou a deixar as drogas e a ler mais a Bíblia, mas “terminou sendo um cafetão e me conduziu de novo à indústria do cinema para adultos”.

BrittiniVivendo entre dois mundos; um encontro

Querendo tranquilizar sua consciência, Brittini tentou viver ao mesmo tempo os dois mundos que agora conhecia. Por um lado, falava de sua fé aos seus companheiros ou em alguns dos talk shows; mas, por outro lado, seguiu filmando cenas pornô durante dois anos mais.

Quando alguém a criticava pela contradição em sua vida, ela lhes recordava o modo como Jesus tratou a Maria Madalena e lhes citava algumas passagens em que se recriminava julgar os outros. Mas, no fundo de seu coração, ela mesma o admitia: “Era um desastre. O demônio me queria de novo dentro da indústria, mas Deus não deixava de me tirar para fora. O demônio tinha uma estratégia, mas Deus tinha um plano”. E esse plano se realizou, curiosamente, no momento e lugar menos esperado.

“Jesus ama as estrelas pornô”

Em uma convenção pornô, encontrou um stand da XXXChurch, um grupo cristão que envia parte de seu staff para essas convenções para aproximar esse mundo de Deus. Entre várias estratégias, presenteiam Bíblias e objetos com o lema impresso “Jesus ama as estrelas pornô”. Brittini ficou impressionada com tudo isso e se aproximou para ver.

Aí conheceu Rachel Collins, uma jovem que lhe deu as boas vindas com um grande sorriso: “Trouxe café, Bíblias e brilho para os lábios. Toda ela transpirava amor e bondade. Havia um resplendor ao redor dela”.

Esse encontro lhe deu as forças para abandonar definitivamente a indústria. Em novembro de 2012 rodou sua última cena de sexo. E por fim, depois de sete angustiosos anos, Jenna Preysler voltou a ser Brittini.

“Existe vida depois da pornografia”

Disposta a não voltar a vista para trás, a vida de Brittini parece desenvolver-se com normalidade. Encontrou trabalho em uma empresa de limozines e recebe um salário normal. Em algumas ocasiões vai visitar Rachel Collins e recorda com gratidão, junto dela, aquele maravilhoso primeiro encontro. Assim o disse em uma carta dirigida à XXXChurch, que depois leu em seu vídeo de testemunho para esse grupo:

BritiniRuiz“Não sei se ela tem consciência do impacto que causou em mim. Sempre foi amável e nunca me julgou; isso ajudou. Nunca havia sentido amor em minha vida e sempre busquei nos lugares equivocados. Por isso foi incrível poder falar com uma mulher tão bela como Rachel que foi capaz de me dizer que eu era sua favorita e com quem pude ter uma conversa normal e não de pornografia. Por favor, digam a ela que dou lhe graças desde o fundo de meu coração”.

Outro passo importante em sua vida foi que conseguiu se reconciliar com seus pais, com quem tem agora uma relação maravilhosa e aos que acompanha regularmente na igreja. Depois de tudo, é consciente de Quem é Aquele que a levou até aqui:

“Vejo com esperança poder me despertar cada manhã. Existe vida depois da pornografia. Existe vida depois das drogas e da prostituição. Deus está vivo e trabalha. Deus está na indústria dos milagres. Por fim, encontrei o amor incondicional de Deus e nunca mais darei marcha-ré“. ·

Fonte: Religion en Libertad

Texto de Lauren Enriquez.

Jim Caviezel, famoso por seu papel como o Cristo em “A Paixão de Cristo” e estrelando atualmente o papel principal no programa televisivo “Person of Interest”, não é estranhamente, também, diferente em Hollywood. De sua pública fé católica ao seu comprometimento com a causa pró-vida, Caviezel é um contraste gritante da típica estrela de cinema.

A vida pessoal de Caviezel é ainda mais notável do que o seu incrível talento diante das câmeras. Tomando a estrada menos percorrida, Jim e sua esposa Kerri adotaram duas crianças da China, ambas com necessidades especiais.

FamíliaCaviezel
Esposa de Jim Caviezel e os filhos

Seu primeiro filho adotado, Bo, chegou aos Caviezels após os primeiros cinco anos de sua vida bastante traumáticos. O menino tinha um tumor no cérebro e foi abandonado antes de ser levado ao orfanato e, posteriormente, adotado por seus amorosos pais. Bo é uma criança extremamente tempestuosa e, com o amor que ele tem recebido de Jim e Kerri, é difícil acreditar que há apenas poucos anos atrás ele estava lutando para sobreviver em um ambiente hostil.

Também com cinco anos de idade no momento de sua adoção, a segunda filha dos Caviezels, Lynn, tem muito em comum com seu irmão. Ela também é da China e sofria de um tumor cerebral. Apesar da família Caviezel ter sido ofertada bebês saudáveis, eles sabiam que as chances desta menina em encontrar um lar adotivo amoroso eram menores, por isso eles decidiram acolhê-la.

Cuidar de crianças com necessidades médicas especiais é um desafio que muitos médicos recomendam evitar através do aborto. Mas os Caviezels testemunham que belas famílias podem ser formadas de circunstâncias inesperadas e imperfeitas, tais como problemas de saúde que exigem muito amor e carinho para serem superadas.

Quando questionado sobre como a paternidade lhe havia afetado, Caviezel respondeu à revista Catholic Digest, “Ainda que eles tenham sido adotados, é tão forte quanto qualquer instinto. Isso é o que me surpreendeu. Eu sempre pensei que se eu adotasse eu não teria o mesmo sentimento de que se fossem geneticamente meus próprios filhos. Nada poderia estar mais longe da verdade.” ·

DonnaD'Errico-CrucifixoDonna D’Errico fez uma mudança total na sua vida. De ter pousado na revista Playboy em 1995 e depois de participar entre 1996 e 1998 na conhecida série televisiva Baywatch (SOS Malibu) agora é uma católica devota e prepara um documentário sobre a Arca de Noé.

Mãe de dois filhos e ex-mulher do líder da banda de rock Motley Crye, Nikki Six, esta católica de 44 anos confessa a FoxNews que desde quando era criança era fascinada pela Arca de Noé e afirma que viajou para Turquia, especificamente ao Monte Ararat, aonde segundo alguns cientistas estaria a Arca, para cumprir o sonho que teve desde pequena quando a história bíblica a deslumbrou.

Há poucos dias, enquanto escalava o Monte Ararat sofreu um acidente e machucou o rosto e outras partes do corpo. Ela colocou por engano uma dessas fotos na sua conta do Twitter para enviá-las a sua família e as imagens se espalharam pela Internet.

Sobre a Arca do Noé relata que “acredito no que a Bíblia diz. Além disso, ao longo dos anos foram surgindo registros históricos de que a Arca pode estar realmente no Monte Ararat, assim que não sou ingênua nem acredito só no que dizem as Escrituras. Há dados da história e de pessoas respeitáveis que confirmam isto”.

Em efeito, um destes registros data do ano 2006 quando a revista Space nos Estados Unidos relatou umas investigações realizadas com fotografias via satélites sobre uma “anomalia” que poderia ser a Arca do Noé.

A “anomalia” está a 4663 metros de altura, na zona nordeste do Monte Ararat. O tamanho da formação, de acordo às imagens do satélite, 309 metros, equivaleria aos 300 por 50 cúbitos que media a Arca do Noé, como explica o livro do Gênesis.

Nesta investigação, também estão incluídas imagens tomadas pela unidade aérea GeoEye’s Ikonos do satélite QuickBird, o Radarsat 1 do Canadá, e outras imagens tomadas por várias agências de inteligência dos Estados Unidos.

Rosário
Rosário da atriz – foto pessoal

Ao perguntar-lhe se ela se considera uma pessoa religiosa, Donna D’Errico afirma que “totalmente. Eu não gosto do termo espiritual porque acredito que encerra uma desculpa. Ou é religioso ou não. Não existe o ser espiritual, é um termo tolo que se converteu em um clichê. Se você não é religioso, não o é e pronto. O que significa ser espiritual? Vou a Missa todos os domingos e rezo o Terço todas as noites com meus filhos“.

A mãe de família explica assim a oposição que muitos nos Estados Unidos tentam estabelecer entre os termos “religioso” e “espiritual” para justificar a postura de quem, no segundo caso, diz ter alguma experiência transcendente, mas sem contar com religião alguma ou “estruturas” como a Igreja, por exemplo.

Sobre seu passado na revista Playboy, Dona D’Errico afirma que “cometi erros e fiz opções no meu passado que não faria hoje. Esse é um capítulo na minha vida que já fechei a porta. Parece-me que foi outra pessoa. Não é quem sou hoje”.

A agora catalogada como “atriz exploradora” permanece na Turquia realizando uma série de gravações para o documentário que produz sobre a Arca de Noé. ·

Fonte: Acidigital

MarkO ator Mark Wahlberg não decide nada sobre sua carreira sem antes consultar um padre. Além de o ajudar a escolher seus papéis para um filme, o reverendo James Flavin é seu confidente.

“Mark é um católico praticante. E ele nunca toma uma decisão final sobre uma filmagem até Flavin dar o ok”, disse um amigo do ator ao tablóide americano National Enquirer.

De acordo com a fonte, Wahlberg “deve sua carreira ao padre”, já que foi Flavin quem o aconselhou a fazer Os Infiltrados, filme que lhe valeu uma indicação ao Oscar. Da mesma maneira, ele recusou o convite para atuar em “O Segredo de Brokeback Mountain”, por tratar de relacionamentos homossexuais, que vai contra a doutrina católica.

“Padre Flavin foi uma influência enorme na minha vida”, confirmou Mark. “Ele estava sempre tentando me levar para a direção certa. Sem ele, as coisas poderiam ter sido muito ruins para mim.” ·

Fonte: Veja