Qual é a fonte do amor de um casal? Humana Vitae responde nº 1.

Quem é o homem? Qual a sua origem e seu destino? Qual o sentido da vida humana?

Perguntas tão importantes não podem ser respondidas de forma superficial, nem a partir de uma visão utilitarista e materialista do homem! Diante de questões tão decisivas é preciso ter uma visão integral do homem, olhar para suas verdadeiras aspirações e anseios. Sendo o homem um ser de natureza material e espiritual, olhá-lo apenas a partir de uma dessas duas dimensões é reduzi-lo e comprometê-lo em suas mais altas aspirações à felicidade.

Na origem da natureza humana uma sábia e essencial opção do Criador – FAZÊ-LO HOMEM E MULHER PARA VIVEREM NUMA UMA SÓ CARNE!

Isso não é um detalhe! Isso não é acidental, nem opcional! É uma escolha de Deus que aponta seu desígnio de amor para nossa natureza. Deus nos fez para o casamento! Em primeiro lugar para um casamento eterno com Ele, as núpcias do Cordeiro do Apocalipse, e para que compreendêssemos essa vocação altíssima, Deus nos criou vocacionados a um outro casamento, o casamento de Gênesis, de ordem natural, elevado em Cristo à sacramento entre os batizados. Não podemos ignorar que Deus inscreveu em nossa alma a esponsalidade, a inclinação à comunhão de vida, ESSA É UMA BELEZA QUE SÓ ENCONTRAMOS NO AMOR HUMANO! O casamento da terra aponta para o casamento do Céu e de certa forma é uma prefiguração dele.

Por que isso é tão importante? Simples… porque se não entendemos esse plano, essa analogia, faremos do casamento algo infinitamente mais baixo e mais rasteiro, mais mundano e superficial, mais natural e menos edificante do que ele é chamado a ser na sua origem.

O Papa Paulo VI, muito corajosamente, escreveu em 1968, uma encíclica magnífica e absurdamente importante para casados e não casados! Ela se chama Humanae Vitae e fala sobre a Vida Humana e o Controle da Natalidade. Diz o Papa:

O problema da natalidade, como de resto qualquer outro problema que diga respeito à vida humana, deve ser considerado numa perspectiva que transcenda as vistas parciais – sejam elas de ordem biológica, psicológica, demográfica ou sociológica – à luz da visão integral do homem e da sua vocação, não só natural e terrena, mas também sobrenatural e eterna.“(Humanae Vitae, n.7)

O Papa começa o documento falando sobre a origem do amor conjugal, do amor de um casal e revela coisas maravilhosas…

Esse é o primeiro de uma série de publicações e vídeos sobre esse documento tão importante!

Assista, compartilhe!

 

Por Renato Varges

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe um comentário