blogs
Vida Sem Dúvida

Trump assume e já anuncia fim do apoio do governo ao aborto!

 

DONALD TRUMP JÁ CHEGOU NA CASA BRANCA DECLARANDO GUERRA CONTRA A CULTURA DA MORTE

 

Segundo a revista Foreign Policy, o Presidente Donald Trump anunciará o fim do financiamento de grupos e organizações que promovem o aborto no exterior. A medida, que colocará fim a uma política promovida por Barack Obama e outros democratas, será anunciada no dia 22 de janeiro, data que marca o aniversário da nefasta decisão da Suprema Corte americana no caso Roe v. Wade. O simbolismo da data é importante para nos lembrar do comprometimento do novo presidente com a defesa da vida e o combate à cultura da morte. Esse comprometimento se revela, dentre outras formas, em várias de suas propostas de campanha, como as que vão abaixo:

 

 

Portanto, para os defensores da vida, há motivos de sobra para comemorar a eleição de Trump!

 

(Visited 22 times, 1 visits today)
Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio, postaram comentários que não cumprem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seguir

  1. Deve-se preservar a vida, não apenas no ventre materno, mas em todas as etapas da vida humana. Esse presidente possui propostas para acabar com o ‘SUS’ americano, será que ele é tão a favor da vida assim? Fiquemos atentos…

  2. Infelizmente o que irá ocorrer é o aumento de abortos clandestinos em clínicas mal aparelhadas com risco maior para a vida das mulheres. Com as clínicas regularizadas e apoiadas oficialmente, havia assistentes sociais e mesmo médicos que, muitas vezes, convenciam as mães a não prosseguirem com o aborto. Esta medida de Trump é popularista e um retrocesso. Basta fazer uma pesquisa para ver que na era Obama diminuiu o número de abortos.